the ultimate jazz archive: blues 14



Memphis Slim (1915-1988), nascido como John Len Chatman, seguramente faz parte da lista dos maiores pianistas de blues de todos os tempos. Um artista incrivelmente produtivo, que trouxe um ar de sofisticação urbana às mais de 500 gravações. E foi inteligente o suficiente para seguir o conselho do guitarrista Big Bill Broonzy sobre o desenvolvimento de um estilo próprio em vez de imitar o ídolo, o pianista Roosevelt Sykes. Em pouco tempo, outros estavam copiando o seu estilo e sua voz trovejante, que possuía uma autoridade de comando, o distinguia da maioria de seus contemporâneos. Como convém ao seu nome artístico, Memphis Slim nasceu e cresceu em Memphis. Em algum momento no final dos anos 30, ele foi para Chicago e começou a gravar em 1939, como líder de bandas. Na mesma época, Slim juntou-se a Broonzy, e transformaram-se na força dominante da cena do blues local. Depois Slim emergiu como artista independente. Após o término da Segunda Guerra Mundial, liderou uma série de bandas de ‘jump blues’, um blues tocado em andamento acelerado, normalmente desempenhado por pequenos grupos e apresentando metais. Em 1945, Slim atuou com trios para depois introduzir saxofone alto, sax tenor, piano, cordas e baixo, e gravou as clássicas ‘Lend Me Your Love’ e ‘Rockin' the House’. Em 1949, expandiu o seu grupo para um quinteto, adicionando um baterista. Mais tarde, recrutou o seu primeiro guitarrista permanente, o estimável Matt ‘Guitar’ Murphy. Slim deixou os EUA, em 1962 pois quando participou da turnê pela Europa em parceria com o baixista Willie Dixon em 1960, tinha intrigado o pianista. E mudou-se definitivamente para Paris onde as possibilidades de gravação e turnê pareciam ilimitadas e o veterano pianista era tratado com respeito muitas vezes negado em seu próprio país. Ali, Slim permaneceu até a sua morte em 1988, desfrutando de sua estatura como realeza do blues.



Muddy Waters (1915-1983) nasceu entre o algodão, no Mississipi, como McKinley Morganfield e aprendeu sozinho a tocar a gaita, ainda quando criança. O nome artístico Muddy Waters (águas lamacentas) ele ganhou devido ao costume de brincar no rio. Mais tarde, trocou a gaita pelo violão, avidamente absorvendo o delta blues, estilo clássico de Robert Johnson e Son House. Ele foi o primeiro a ser gravado, em 1941, por Alan Lomax, professor e pioneiro musicólogo e folclorista, que fez muito para a preservação da música popular americana como arquivista da Biblioteca do Congresso de Música Folk Americano. Quando Muddy Waters mudou para Chicago rompeu com o estilo country e trocou o violão pela guitarra elétrica e adicionou piano e bateria ao blues. O resultado veio a ser conhecido como blues urbano. Muddy é, portanto, considerado o pai do Chicago blues. Atribui-se também a ele, a idéia de invenção da guitarra elétrica. Uma onda de interesse pelas raízes da música popular no início dos anos 60 trouxe fama a ele, que se apresentou internacionalmente em 1970. De 1950 até sua morte, Muddy Waters governou literalmente Chicago com uma presença de palco que combinava dignidade e um estilo forte e emocional de tocar guitarra slide. leia mais...



Big Boy Crudup (1905 - 1974) foi guitarrista, cantor e compositor do estilo delta blues. Ele é mais conhecido fora dos círculos de blues por compor as canções ‘That's All Right’, ‘My Baby Left Me’ e ‘So Glad You're Mine’, gravadas por Elvis Presley e dezenas de outros artistas. Crudup era o bluesman favorito de Elvis Presley. Nascido em Forest, Mississippi, como Arthur Crudup, por um tempo foi um trabalhador migrante. Ele e sua família retornaram ao Mississipi em 1926. Primeiramente, Crudup cantou gospel para em seguida começar a sua carreira como cantor de blues em Clarksdale, Mississippi. Como membro do grupo ‘Harmonizing Four’, visitou Chicago em 1939 permanecendo aí como cantor de rua. Lester Melrose, um dos primeiros produtores de gravações de blues, encontrou Crudup vivendo em um caixote, apresentou-o a Tampa Red e assinou com ele um contrato de gravação. E Crudup excursionou por todo o país, especialmente pelo Sul, com Sonny Boy Williamson II e James Elmore. Parou de gravar em 1950, por causa dos royalties. Ao longo deste tempo trabalhou como operário para aumentar a renda devido aos pequenos salários que recebia como cantor. Crudup retornou ao Mississipi após uma disputa com Lester Melrose, sobre os royalties, em seguida, entrou para o contrabando, e depois mudou-se para Virgínia, onde vivia com a sua família, incluindo três filhos e vários de seus próprios irmãos. Enquanto viveu na pobreza relativa como trabalhador agrícola, ele ocasionalmente cantava. Ele voltou a gravar em 1965. No início dos anos 70, duas ativistas locais Celia Santiago e Margaret Carter ajudaram-no na tentativa de receber mais royalties, mas com pouco sucesso. Em uma viagem em 1970 para o Reino Unido, gravou com músicos locais e finalmente Crudup começou a ganhar algum dinheiro decente, tocando blues em várias festas populares para multidões que apreciavam o blues antes de sua morte de ataque cardíaco em 1974. Seus últimos compromissos profissionais foram com Bonnie Raitt. Às vezes rotulado como o ‘pai do rock’n’roll’, ele aceitou esse título com algum espanto.



Big Joe Turner (1911 - 1985) nasceu em 1911 na cidade de Kansas City como Joseph Vernon Turner. Aos 15 anos de idade, quando o pai morreu, foi obrigado a deixar a escola e sustentar a família. Ele e sua irmã mais velha trabalhavam como engraxates de rua, onde ele aproveitava e cantava por trocados. Durante a manhã trabalhava como cozinheiro em um hotel. Começou a freqüentar o ‘Backbiter's Club’, onde assistia aos músicos que admirava. Certo dia pediu a Pete Johnson, um pianista de boogie-woogie, que o deixasse cantar. Johnson gostou do que ouviu e passaram a formar uma dupla. Turner tinha apenas 18 anos. Joe Turner e Pete Johnson passaram a tocar no ‘Black & Tan Club’, onde Turner atendia no bar e a noite tocava com Johnson, o pianista residente da casa. Saíram de Kansas City e visitaram Chicago, St. Louis e Omaha, já de volta a Kansas City, apresentaram-se no ‘Sunset Club’, onde conheceram John Hammond. Joe Turner foi imediatamente convidado a se apresentar no Carnegie Hall, em Nova York, no espetáculo de Hammond, o primeiro show montado para um público branco a tentar apresentar a música negra como uma expressão artística e cultural legítima nos Estados Unidos. A apresentação rendeu um convite para uma gravação. A dupla então iria caminhar por estradas musicais diferentes; Pete Johnson continuou com o boogie-woogie e jazz, enquanto Joe Turner preferiu o gênero que seria futuramente chamado de rock 'n' roll. Em 1951, Turner, já estava devidamente apelidado de Big Joe Turner, devido ao seu corpo grande e obeso e uma voz volumosa e ressonante que sacudia qualquer casa sem precisar de um microfone. Quando lhe perguntavam a respeito de ser precursor de um estilo novo, ele dizia apenas: rock'n'roll não é nada mais do que um nome diferente para o mesmo tipo de música que ando cantando por toda a minha vida. Ele continuou a gravar até 1961, e jamais parou de cantar ou de se apresentar embora o público não estivesse mais interessado, ou sequer se lembrasse mais dele. Na década de 70 e 80, Turner era ouvido em qualquer palco, mesmo de bengala. Em 1985, com complicações no fígado, Big Joe Turner morreu sem deixar herdeiros.




14.1 Memphis Slim (1940-1941)

Tracklist
01. The Jive Blues 02. Diggin' My Potatoes N°2 03. Last Pair Of Shoes Blues 04. Miss Ora Lee Blues 05. Blue Evening Blues 06. Blues At Midnight 07. Beer Drinking Woman 08. You Didn't Mean Me No 09. Grinder Man Blues 10. Empty Room Blues 11. Shelby County Blues 12. I See My Great Mistake 13. Old Taylor 14. I Believe I'll Settle Down 15. Jasper' Gal 16. You Got To Help Me Some 17. Two Of A Kind 18. Whiskey Store Blues 19. Maybe I'll Loan A Dime 20. Me, Myself, And I 21. You Gonna Worry Too 22. This Life I'm Living 23. Caught The Old Coon Last Night 24. Lend Me Your Love


14.2 Muddy Waters (1941-1942)

Tracklist
01. Country Blues 02. I Be's Troubled 03. Burr Clover Farm Blues 04. Take A Walk With Me 05. Burr Clover Blues 06. Walkin' Blues 07. Can't Be Satisfied 08. Gypsy Woman 09. Mean Red Spider 10. I Feel Like Going Home 11. Little Anna Mae 12. Train Fare Home Blues 13. Little Geneva 14. Rollin' And Tumblin' 15. Steeamline 16. Rolling Stone 17. You Gonna Miss Me


14.3 Arthur 'Big Boy' Crudup (1941-1946)

Tracklist
01. Black Pony Blues 02. Death Valley Blues 03. If I Get Lucky 04. Kind Lover Blues 05. Standing At My Window 06. Mean Old 'frisco Blues 07. Gonna Follow My Baby 08. Give Me a 32-20 09. My Mama Don't Allow Me 10. Raised To My Hand 11. Who's Been Foolin' You 12. Cool Disposition 13. Rock Me Mama 14. Keep Your Arms Around Me 15. I'm In The Mood 16. That's Your Red Wagon 17. Dirt Road Blues 18. She's Gone 19. Boy Friend Blues 20. No More Lovers


14.4 Big Joe Turner (1941-1946)

Tracklist
01. Nobody In My Mind 02. Somebody Got To Go 03. Ice Man 04. Chewed Up Grass 05. Rocks In My Bed 06. Blues On Central Avenue 07. Goin' To Chicago Blues 08. Sun Risin' Blues 09. Blues In The Night 10. Cry Baby Blues 11. It's The Same Old Story 12. Rebecca 13. Little Gal's Blues 14. I Got A Gal (For Every Day In The Week) 15. S. K. Blues Part 1 16. S. K. Blues Part 2 17. Johnson And Turner Blues 18. Watch That Jive 19. Howlin' Winds 20. Doggin' The Blues (Low Dog Blues) 21. I Got My Discharge Papers


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...