david bowie

david bowieA importância do britânico David Bowie no mundo da música é inegável. A história começou quando David Robert Haywood-Jones, então com 13 anos de idade, influenciado pelo som de Little Richards, começou a tocar saxofone em algumas bandas de Brixton até 1966. Algumas dessas bandas tinham nomes curiosos como ‘George And The Dragons’, ‘Bo Street Runners’, ‘Kon-Rads’ ou ‘The Hooker Brothers’. Todas contavam com seu grande amigo George Underwood e tocavam uma variação de blues e rhythm n' blues típicos da época. Ao ler artigos sobre John Bloom, um rico homem de negócios, Davie lhe escreve uma carta apontando para a magnífica oportunidade dele poder promover uma banda talentosa. Admirando a ousadia, Bloom respondeu sua carta oferecendo o nome e telefone de um empresário, Leslie Conn. Foi dessa maneira que ‘Davie Jones & The King Bees’, cuja formação era com Roger Bluck na guitarra, Frank Howard no baixo, Bob Allen na bateria, além do George Underwood e o próprio Davie Jones tocando sax, conseguiram o contato com Leslie, que gostou do que ouviu. Gravaram um compacto que não rendeu nenhum lucro e a banda pouco depois se dissolveu.

A partir daí decidiu se lançar em carreira solo e mudou seu nome para David Bowie, para não ser confundido com o Davy Jones, vocalista dos ‘Monkees’. Três anos depois, conseguiu entrar pela primeira vez nas paradas inglesas com ‘Space Oddit’, inspirado em ‘2001 – Uma Odisséia no Espaço’. Os anos 70 impulsionaram a carreira de Bowie em todo o mundo. A nova criação de Bowie fica por conta das influências de um cruzamento entre o glitter de Marc Bolan com a atitude agressiva e suicida de Iggy Pop, mais uma pitada do britânico Vince Taylor, um dos primeiros roqueiros da era pré-Beatles de 1958. Nasce o alienígena andrógino pop star, Ziggy Stardust, uma estrela marciana pronta a seduzir e a manipular os habitantes da Terra.

david bowie

seu personagem mais famoso, o extraterrestre Ziggy Stardust.

Ziggy Stardust é uma criatura sexualmente ambígua, de cabelos cor de fogo e roupas brilhantes, um misto de deus e demônio, que comanda a banda ‘The Spiders From Mars’. O LP ‘The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars’, onde ele deu vida ao seu mais famoso personagem é até hoje tido como obra-prima roqueira do artista. Refletia uma crise de identidade na sociedade, que se transformou num clássico, numa referência. A capa de Brian Ward, é considerada uma obra-prima. David Bowie a partir deste momento é tratado como mega estrela pela mesma imprensa que o ignorou anos antes. Depois de Ziggy Stardust, nada mais foi igual e Bowie atingiu o caminho do estrelato e da glória. Durante a extravâgancia do personagem Ziggy, sua vida amorosa foi bastante agitada. Bissexual declarado, casado com outra bissexual, sua relação com Angie Bowie foi progressivamente perdendo interesse para o seu sucesso profissional. Neste período, Bowie mantinha uma estável relação triplice com Amanda Lear, musa de Salvador Dali; Cherry Vanilla, atriz de filmes de Warhol; Ava Cherry, uma cantora negra; além de sua esposa. Outras relações ocasionais e paralelas conhecidas ou especuladas incluem Romy Haag, modelo alemã; Oona Chaplin, esposa de Charlie Chaplin; e Elizabeth Taylor, esposa de Richard Burton. Controvérsias sobre seu relacionamento com Lou Reed em plena fase ‘Transformer’, Mick Jagger e Nureyev também existem. Apesar do sucesso mundial de Ziggy, Bowie deixou de interpretá-lo depois de pouco mais de um ano, no início da década de 70.

david bowie, iggy pop e lou reed

David Bowie no auge da sua fase Ziggy Stardust. No centro está o pai do protótipo punk Iggy Pop, cujo LP ‘Raw Power’ de 1972 com os Stooges, tem mixagem de Bowie, produtor do disco. À direita o ícone do rock Lou Reed, sua obra-prima, também de 1972, ‘Transformer’, também tem a participação de Bowie na produção e nos vocais. A foto é do renomado fotógrafo de rock’n’roll Mick Rock.

Cada vez mais interessado musicalmente em soul americano, muda novamente o seu visual e excursiona os Estados Unidos vestido em um terno de cor sóbria e cabelos curtos. A mudança espanta seu público como também a imprensa e sua fama de camaleão começa a se espalhar. É nesta época também que Bowie começa a fazer uma dieta ‘branca’, já que só tomava leite e fazia uso cada vez maior de cocaína. Bowie grava e lança ‘Station To Station’ que contem impressionantes interpretações. Depois de diversas tentativas, Bowie finalmente consegue exorcizar Ziggy Stardust com o ‘Thin White Duke’, um sujeito mais cool, distante e alinhado. Conforme seu envolvimento com cocaína, seu egocentrismo aumenta e criticas surgem. Preocupado em mudar seu ambiente para que essa mudança reflita em sua música, Bowie muda para Berlim. Morando em um apartamento modesto, em cima de uma oficina mecânica, volta a viver uma vida mais simples. Deixa a cocaina e se envolve com música eletrônica alemã e seus próximos álbuns, são altamente influentes para a geração pós punk e o movimento dark da década de 80. Com o movimento neonazista que ressurgia, Bowie muda-se para Nova York. Bowie então dá uma guinada na sua carreira e foge novamente do mundo do rock.

david bowie

Estréia na Broadway a peça ‘O Homem Elefante’, onde a critica o considera excelente. Bowie volta ao Oriente, em uma ilha do Pacífico Sul, para filmar ‘Happy Christmas Mr. Lawrence’, primeiro filme em inglês do cineasta japonês, Nagisa Oshima. Bowie levou com ele para a ilha apenas algumas fitas cassettes de James Brown, Albert King, Johnny Otis, Buddy Guy e mais algumas bandas de R&B do seu tempo de adolescência. Na década de 90, Bowie encontraria o amor de sua vida, a modelo nascida na Somalia, Iman Abul Majid e volta ao estúdio pensando na sua carreira solo. David grava o disco ‘Black Tie White Noise’ que marca a volta de Bowie como saxofonista, instrumento que marcara o inicio de sua carreira. Em 1995, em Nova York, filma ‘Basquiat’, a história de Jean Michel Basquiat, um grafiteiro antisocial das ruas de Nova York descoberto pela elite artística da cidade, graças a Andy Warhol que vê no rapaz um talento autêntico. Bowie faz incrivelmente bem o papel de Andy Warhol, um amigo antigo. David Bowie é considerado um dos nomes da música pop que mais fez uso do uso da imagem em sua carreira. Ele incorporou elementos teatrais para criar vários personagens nos anos 70, ditando modas e tendências.

david bowie - china girl


david bowie - the platinum collection (2005)

The Platinum Collection (2005)
CD 1    CD 2    CD 3

CD 1: Best Of 1969-1974
01. The Jean Genie 02. Space Oddity 03. Starman 04. Ziggy Stardust 05. John, I'm Only Dancing (Sax Version) 06. Rebel Rebel 07. Let's Spend The Night Together 08. Suffragette City 09. Oh! You Pretty Things 10. Velvet Goldmine 11. Drive In Saturday 12. Diamond Dogs 13. Changes 14. Sorrow 15. The Prettiest Star 16. Life On Mars? 17. Aladdin Sane 18. The Man Who Sold The World 19. Rock 'n' Roll Suicide 20. All The Young Dudes

CD 2: Best Of 1974-1979
01. Sound And Vision 02. Golden Years 03. Fame 04. Young Americans 05. John, I'm Only Dancing (Again) 06. Can You Hear Me 07. Wild Is The Wind 08. Knock On Wood (Live) 09. TVC 15 10. 1984 11. It's Hard To Be A Saint In The City 12. Look Back In Anger 13. The Secret Life Of Arabia 14. DJ 15. Beauty And The Beast 16. Breaking Glass 17. Boys Keep Swinging 18. Heroes

CD 3: Best Of 1980-1987
01. Let's Dance 02. Ashes To Ashes 03. Under Pressure 04. Fashion 05. Modern Love 06. China Girl 07. Scary Monsters 08. Up The Hill Backwards 09. Alabama Song 10. Drowned Girl 11. Cat People 12. This Is Not America 13. Loving The Alien 14. Absolute Beginners 15. When The Wind Blows 16. Blue Jean 17. Day-In Day-Out 18. Time Will Crawl 19. Underground

imelda may

mulheres no rock'n'roll
chrissie hynde = the pretenders
crucified-barbara
dolores o'riordan = the cranberries
doro pesch = warlock
girlschool
janis joplin
joan jett | lita ford = the runaways
siouxsie and the banshees
wendy o williams = plasmatics

imelda mayImelda May pode ser um nome desconhecido para alguns, mas para muitos ela já é uma superstar. Ela é inconfundível, tanto na sua música, uma fusão de blues e rockabilly que não estaria fora de lugar num filme de David Lynch ou de Tarantino, como no seu estilo, com um solitário topete loiro no cabelo preto. Imelda May é um talento vocal único, aquele que está fora da ordem normal do tempo e das tendências. Inspirada pelos sons do blues e jazz e no som do rockabilly, um dos primeiros subgêneros do rock’n’roll, tendo surgido no começo da década de 50, aos nove anos de idade já era fã, particularmente, de Elmore James e Billie Holiday e especialmente da música de Buddy Holly, pioneiro do rock and roll; Eddie Cochran e Gene Vincent, ícones do rockabilly. Nascida em Dublin, Irlanda, aos catorze anos cantou em uma propaganda de TV, no entanto, sua carreira começou aos 16 anos percorrendo o circuito de clubes de Dublin onde ocasionalmente era impedida por ser menor de idade. Depois de se mudar para o Reino Unido em 1998, começou a cantar com a banda de jazz ‘Blue Harlem’ e por quatro anos como vocalista da banda de Mike Sanchez, cantor e pianista de rhythm and blues. Imelda lançou um punhado de álbuns independentes, em 2003, com sua banda lançou ‘No Turning Back’ ainda com o nome de solteira, Imelda Clabby, mais tarde regravado com o seu nome de casada. Em 2007, gravou e lançou em sua própria gravadora o álbum ‘Love Tattoo’, com a sua fantástica banda de apoio composta pelo trompetista Dave Priseman; o guitarrista Darrell Higham, com quem é casada; o baixista Al Gare e o baterista Steve Rushton. Imelda, além de vocalista, toca 'bodhrán', um instrumento musical de percussão irlandês que assemelha-se a um tamborim. Imelda dividiu o palco com Eric Clapton, Jeff Beck, Van Morrison, Scissor Sisters e, mais recentemente, com a primeira-dama do rockabilly, Wanda Jackson.

imelda may no Evolution Festival (2009)

Imelda May no 'Evolution Festival' (2009)

imelda may & jeff beck

O guitarrista Jeff Beck e Imelda May (2010)

Hoje, a irlandesa Imelda May, de 37 anos, é a mais nova queridinha do gênio da guitarra, o britânico Jeff Beck. Depois de excursionar por todo o mundo promovendo 'Love Tattoo’, uma pequena pausa foi feita e Imelda emprestou a sua voz para o grande álbum ‘Rock’n Roll Party’, de Jeff Beck, gravado ao vivo em 2010 nos Estados Unidos durante homenagem ao virtuoso guitarrista Les Paul; para logo depois entrar no estúdio e gravar o magnífico 'Mayhem', uma coleção de standards e canções dela própria. Nele Imelda continua a desenvolver a sua fusão única de clássicos do rock básico, o rockabilly, o country, o jazz e o blues; e gêneros musicais modernos. O registro não só apresenta a sua capacidade de composição excepcional, mas também exibe algumas influências díspares, ‘Psycho’ capta o espírito do início da carreira da cantora britânica PJ Harvey, uma das mais importantes artistas de sua geração e um dos ícones do rock da década de 90; enquanto na dolorosamente triste ‘Kentish Town Waltz’ evoca a imagem de Chrissie Hynde, musicista estadunidense, conhecida especialmente como líder da banda ‘The Pretenders’. Em 2011, Imelda lançou 'More Mayhem', uma edição especial de seu disco de ouro 'Mayhem' com vários bônus. É hora de ouvir a irlandesa Imelda May, excepcional na escolha do repertório jazzístico e blueseiro sem apelar para clichês.

imelda may - no turning back (2007)    imelda may - love tattoo (2008)

No Turning Back (2007)    |    Love Tattoo (2008)

No Turning Back
01. Dealing With The Devil 02. Flame Of Love 03. Cry For Me Baby 04. Till I Kissed You 05. What Am I Gonna Do 06. Once More 07. Wild About My Lovin' 08. No Turning Back 09. End Of The World 10. Y'hoo 11. Don't Do Me No Wrong 12. Forever You And Me 13. Bring My Cadillac Back 14. Lovey Dovey Lovely One 15. Let Us Sing

Love Tattoo
01. Johnny Got A Boom Boom 02. Feel Me 03. Knock 123 04. Wid About My Lovin' 05. Big Bad Handsome Man 06. Love Tattoo 07. Meet You At The Moon 08. Smoker's Song 09. Smotherin' Me 10. Falling In Love With You Again 11. It's Your Voodoo Working 12. Watcha Gonna Do

imelda may - mayhem (2010)    imelda may - more mayhem (2011)

Mayhem (2010)    |    More Mayhem (2011)

Mayhem
01. Pulling the Rug 02. Psycho 03. Mayhem 04. Kentish Town Waltz 05. All for You 06. Eternity 07. Inside Out 08. Proud and Humble 09. Sneaky Freak 10. Bury My Troubles 11. Too Sad to Cry 12. I'm Alive 13. Let Me Out 14. Tainted Love 15. Johnny Got a Boom Boom

More Mayhem
01. Pulling The Rug 02. Psycho 03. Mayhem 04. Kentish Town Waltz 05. All For You 06. Eternity 07. Inside Out 08. Proud And Humble 09. Sneaky Freak 10. Bury My Troubles 11. Too Sad To Cry 12. I'm Alive 13. Let Me Out 14. Tainted Love 15. Johnny Got A Boom Boom 16. Road Runner (Bonus Track) 17. Gypsy (Bonus Track) 18. Blues Calling (Bonus Track) 19. Walking After Midnight (Bonus Track) 20. Inside Out (Remix) (Bonus Track) 21. Proud And Humble (Remix) (Bonus Track)

Com o álbum ‘Rock 'N' Roll Party’, Jeff Beck com Imelda May e sua banda homenagearam Les Paul, seu amigo e mentor. Patrocinado pela ‘Gibson Guitar’ e anunciado como uma celebração especial ao que teria seria o aniversário de 95 anos do ícone da guitarra Les Paul, Jeff Beck foi acompanhado pela banda de Imelda no ‘Iridium Jazz Club’, New York, em 2010. O concerto hipnotizou a platéia repleta de estrêlas com os clássicos ‘How High The Moon’, ‘Vaya Con Dios’ e ‘Mockin’ Bird Hill’, que Les Paul gravou com a sua esposa, a cantora e guitarrista Mary Ford; e os standards do rock’n’roll ‘Twenty Flight Rock’ e ‘Walking In The Sand’.

jeff beck e imelda may - rock 'n' roll party (2011)

Rock 'N' Roll Party (2011)
(Honoring Les Paul)

Personal
Jeff Beck (guitarra); Imelda May (vocal); Brian Setzer (guitarra e vocal); Darrel Higham (guitarra e vocal); Al Gare (baixo); Jason Rebello (teclados); Stephen Rushton (bateria e backing vocal); Dave Priseman (trompete); Leo Green (saxofone); Blue Lou Marini (saxophone); Gary U.S. Bonds (vocal); Troy Andrews (trombone)

Tracklist
01. Double Talking Baby 02. Cruisin' 03. The Train Kept A Rollin' 04. Cry Me A River 05. How High The Moon 06. I'm Sitting On Top Of The World 07. Bye Bye Blues 08. The World Is Waiting For The Sunrise 09. Vaya Con Dios 10. Mockin' Bird Hill 11. I'm A Fool To Care 12. Tiger Rag 13. Peter Gunn 14. Rockin' Is Our Bizness 15. Apache 16. Sleep Walk 17. New Orleans 18. (Remember) Walking In The Sand 19. Please Mr. Jailer 20. Twenty Flight Rock

imelda may - bury my troubles



molly johnson

molly johnsonA diva canadense do jazz-blues-pop Molly Johnson é considerada uma das melhores vozes do seu país. É também uma voz que há muito merecia uma audiência maior. Molly Johnson começou a carreira como atriz infantil e recebeu formação na ‘National Ballet School of Canada’ e na ‘Banff School of Fine Arts’. Sua formação informal continuou por meio de apresentações em vários bares e salas de concerto. Molly, filha de uma mãe branca e um pai negro, é o mais novo membro da talentosa família Johnson, ela compartilha seus genes criativos com seu irmão, o ator e diretor Clark Johnson que fazia parte do elenco original da série de TV, ‘Homicide: Life on the Street’ e sua irmã Taborah, que também canta e aparece regularmente na CBC Television.

Com quinze anos, Molly foi vocalista de uma banda com o ridículo nome de ‘Chocolate Affair’. O grupo durou pouco mais de um ano. Em 1979 ‘Chocolate Affair’ foi seguido pelo grupo com o nome não menos ridículo de ‘Alta Moda’, um grupo de funcky rock formado por Molly e o guitarrista Norman Orenstein. ‘Alta Moda’ lançou um álbum auto-intitulado que apesar de ser rotulado pelos críticos como ‘funk americano genérico’ gerou o single ‘Julian’ que se tornou um hit. Em 1990 o núcleo do ‘Alta Moda’ se transformou no ‘The Infidels’ que tinha um som similar a ‘Alta Moda’, mas que foi um pouco mais bem-sucedido nas paradas. O lançamento do álbum auto-intitulado gerou dois hits, ‘100 Watt Bulbo’ e ‘Celebrate’ e o grupo ganhou o prêmio ‘Juno’. Mesmo alcançado sucesso nacional, Molly Johnson iniciou uma carreira paralela como cantora de jazz. Em 1992, revisitando clássicos do jazz dos anos 30 e 40 evocava a aura de uma época passada de clubes esfumaçados. Através dos anos, se tornou uma das vocalistas de jazz com maior prestigio do Canadá a partir dos bastidores minúsculos da boemia de ‘Cameron Public House’, no centro de Toronto, para finalmente aparecer em locais de prestígio da cidade, com um repertório que abrangia Duke Ellington, George Gershwin e Billie Holiday.

molly johnson

‘Molly Johnson’, o álbum de estréia de 2000 e gravado com o lendário violinista Stéphane Grappelli, mostra o talento precioso de Molly e incorpora todos os estilos musicais que ela domina. Na esteira desse álbum homônimo Molly Johnson encantou o público com ‘Another Day’, uma mistura bem sucedida de reggae, blues e gospel. ‘If You Know Love’ gravado em 2007, é um álbum de jazz-pop extraordinariamente envolvente e maduro para um público sofisticado, com Molly Johnson e seus colaboradores de longa data, o baterista Mark McLean, o baixista Mike Downes, flauta e sax com Colleen Allen, o guitarrista Rob Pilch e o pianista Andrew Craig, habilmente integrados no fraseado do jazz e na sensibilidade do pop. Destaque para a angustiante 'Streets of Philadelphia', cover de 'Bruce Springsteen', pelo seu impacto emocional e para a deliciosa bossa de 'Let's Waste Some Time'.

A diva canadense é também uma artista com consciência social. Além de suas realizações tanto como cantora quanto como compositora Molly é bem conhecida por seu compromisso com inúmeras causas beneficentes. Mais especificamente, como fundadora e força motriz que está por trás da ‘Kumbaya Foundation’, criada em 1992, para o cuidado de pessoas que vivem com AIDS. E o ‘Kumbaya Festival’ que começou como um encontro de amigos de Molly e de músicos canadenses e se transformou em um festival anual de música, arte, educação e compaixão. Em 2007, Molly foi homenageada com o 'Officer of the Order of Canada', distinção dada a ela pelo seu trabalho filantrópico para uma variedade de causas e por suas contribuições internacionais para as artes.

molly johnson - streets of philadelphia


molly johnson - let's waste some time


molly johnson (2000)

Molly Johnson (2000)

Tracklist
01. My oh my 02. Long wave goodbye 03. Diamond in my hand 04. Deep dead blue 05. Monkey 06. I will 07. It’s only love 08. Sweetest world 09. One hundred cigarettes 10. Night comes 11. Don’t explain

molly johnson - another day (2002)

Another Day (2002)

Tracklist
01. Summertime 02. I Must Have Left My Heart 03. Melody 04. Sweet Sublime 05. He's Got My Heart 06. Miss Celie's Blues (Sister) 07. Red Cardinal 08. Sleep in Late 09. Haunted 10. Another Day 11. Ooh Child/Redemption Song 12. Another Day (Radio Mix)

molly johnson - if you know love (2007)

If You Know Love (2007)

Tracklist
01. If You Know Love 02. Let's Waste Some Time 03. Tristes Souvenirs 04. Let's Do It 05. Sticks and Stones 06. Rain 07. Streets of Philadelphia 08. Sunday 09. Messin' Around 10. Tonight 11. But Not For Me 12. Northern Star 13. Avignon Blues

molly johnson - lucky (2008)

Lucky (2008)

Tracklist
01. Whatever Lola Wants 02. I Got It Bad (And That Ain’t Good) 03. Lush Life 04. If I Were a Bell 05. Ode to Billie Joe 06. Solitude 07. Lucky 08. It Ain’t Necessarily So 09. I Loves You, Porgy 10. Mean to Me 11. Willow Weep for Me 12. Gee Baby, Ain’t I Good To You 13. I’ll Never Smile Again 14. It Ain’t Necessarily So (Reprise)

john lee hooker

John Lee HookerSomente a música religiosa era permitida na família de Hooker, estabelecida em uma fazenda no sul de Clarksdale, no Mississippi, onde seu pai William Hooker era meeiro e pregador batista nos tempos livres. Mais tarde, John Lee Hooker e seus onze irmãos, mais o pai e a mãe mudaram-se para uma nova fazenda, não muito longe de Clarksdale, onde John encontrou Snooky Pryor e Jimmy Lane que no futuro seria conhecido como Jimmy Rogers, cantor, guitarrista e gaitista e que faria parte da banda de Muddy Waters. Quando seus pais se separaram, John foi o único a ir embora com sua mãe Ramsey Minnie que se casou com Wiliam Moore, um cantor de blues que ensinou John a tocar guitarra num estilo característico que o acompanhou por toda a vida. Depois de tocarem juntos em festas de fim de semana, ao lado de algumas lendas como Charley Patton e Blind Lemon Jefferson, em 1923, quando o pai natural de John Lee Hooker, então com 15 anos, morreu, este fugiu de casa e nunca mais viu a mãe e o padrasto.

Ao longo dos anos 30, John viveu em Memphis e Cincinatti onde trabalhou em fábricas de tecido até mudar-se para Detroit em 1948 onde trabalhou na Ford e para relaxar tocava nos locais de blues e bares onde sua popularidade cresceu rapidamente até ser descoberto pelo empresário Bernie Besman que lançou o seu primeiro disco, ‘Sally Mae’, com uma de suas músicas mais conhecidas, ‘Boogie Chilen’. Assim surgiu o ‘boogie’, uma variação criada por Hooker, em suas experiências juvenis com o blues e o spiritual. Depois do sucesso da canção, John trabalhou para diversas gravadoras, usando vários nomes, Texas Slim, Birmingham Sam, Johnny Williams, John Lee Booker, Johnny Lee entre outros, até se mudar para Chicago, em 1955. Nos anos 50 e 60, o lançamento de mais de 100 músicas pela ‘Vee Jay Records’ deram seguimento à carreira de Hooker. Durante os anos 70 e 80, excursionou por todos os Estados Unidos e pela Europa, além de participar do filme ‘The Blues Brothers’, em 1980. Em 1991, foi incluído no ‘Rock’n’Roll Hall of Fame’.

john lee hooker & willie dixon

John Lee Hooker & Willie Dixon

john lee hooker & carlos santana

John Lee Hooker & Carlos Santana

Falecido em 2001, John Lee Hooker, o hipnotizador do blues, foi um dos mais influentes artistas dos anos 50 e 60. A sua música era livre, desrespeitava padrões, as suas canções faladas e a sua voz rouca ultrapassaram gerações. Seu estilo foi único, até mesmo comparando com outros artistas do verdadeiro e profundo blues. Amigo e impulsionador da carreira do jovem Bob Dylan colaborou também com músicos como Carlos Santana e Van Morrison. Em 1989, se juntou a diversos astros convidados, incluindo Keith Richards e Carlos Santana, para a gravação de ‘The Healer’, que ganhou um Grammy. Em 1996, venceu novamente na categoria de melhor álbum do ano com ‘Chill Out’. Aos 80 anos, recebeu seus terceiro e quarto prêmio, por melhor gravação de blues tradicional e por melhor parceria pop em ‘Don’t Look Back’, que gravou com seu velho amigo Van Morrison. Esta amizade e outras estão imortalizadas no álbum ‘The Best Of Friends’. Hooker viveu os últimos anos de sua vida em São Francisco, onde era dono de um clube noturno chamado ‘Boom Boom Room’, nome este inspirado em um de seus sucessos.

john lee hooker - blues before sunrise



John Lee Hooker – The Vee-Jay Years 1955-1964

The Vee-Jay Years 1955-1964
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4    CD 5    CD 6

Tracklist CD 1
01. Unfriendly Woman 02. Wheel and Deal 03. Mambo Chillun 04. Time Is Marchin' 05. I'm So Worried Baby 06. Baby Lee 07. Dimples 08. Every Night 09. The Road Is So Rough 10. Trouble Blues 11. Stop Talking 12. Everybody Rockin' 13. I'm So Excited 14. I Can See You When You're Weak 15. Crawlin' Black Spider 16. Little Wheel 17. Little Find Woman 18. Rose Mae 19. You Can Lead Me Baby

Tracklist CD 2
01. I Love You Honey 02. You've Taken My Woman 03. Mama You Got a Daughter 04. Nightmare 05. House Rent Boogie 06. Trying To Find a Woman 07. Drive Me Away 08. I'm Goin' Home 09. Love Me All the Time 10. Lou Della 11. Bundle Up And Go 12. Wrong Doin' Woman 13. Maudie 14. Tennessee Blues 15. I'm In The Mood 16. Boogie Chillun 17. Hobo Blues 18. Crawlin' Kingsnake

Tracklist CD 3
01. I Wanna Talk 02. Canal Street Blues 03. I'll Know Tonight 04. I Can't Believe 05. Goin’ to California 06. Whiskey and Wimmen 07. Run On 08. Solid Sender 09. Sunnyland 10. Dusty Road 11. I'm A Stranger 12. No Shoes 13. Five Long Years 14. I Like To See You Walk 15. Wednesday Evenin' Blues 16. Take Me As I Am 17. My First Wife Left Me 18. You're Looking Good Tonight 19. You're Gonna Miss Me When I'm Gone 20. Dirty Ground Hog 21. She Loves My Best Friend 22. Sally Mae 23. Moanin' Blues

Tracklist CD 4
01. The Hobo 02. Maudie 03. Tupelo 04. Want Ad Blues 05. Will The Circle Be Unbroke 06. I'm Goin' Upstairs 07. I Left My Baby 08. Hard Headed Woman 09. I'm Mad Again 10. Process 11. Thelma 12. What Do You Say 13. Boom Boom 14. Blues Before Sunrise 15. I Lost A Good Girl 16. She's Mine 17. I Got A Letter This Morning 18. New Leaf 19. Let's Make It 20. Drug Store Woman

Tracklist CD 5
01. Old Time Shimmy 02. Onions 03. You Know I Love You 04. Send Me Your Pillow 05. Big Soul 06. Frisco Blues 07. She Shot Me Down 08. Take a Look At Yourself 09. Good Rockin' Mama 10. I Love Her 11. No One Told Me 12. Don't Look Back 13. One Way Ticket 14. Half a Stranger 15. Bottle Up and Go 16. My Grinding Mill 17. I Want To Ramble 18. Sadie Mae 19. This Is Hip 20. Poor Me 21. I Want To Shout 22. Love Is a Burning Thing 23. I Want To Hug You 24. I'm Leaving Baby 25. Birmingham Blues 26. Don't Look Back

Tracklist CD 6
01. I Can't Quit You Now Blues 02. Stop Baby, Don't Hold Me 03. Tupelo 04. Bus Station Blues 05. Freight Train to My Friend 06. Boom, Boom, Boom 07. Talk That Talk Baby 08. Sometimes Baby You Make Me Feel So Bad 09. You've Got To Walk Yourself 10. Let’s Make It 11. The Mighty Fire 12. Big Legs, Tight Skirt 13. Flowers on the Hour 14. It Serves Me Right to Suffer 15. It Ain't No Big Thing Baby 16. She Left Me One Wednesday 17. You Can Run 18. New Sally Mae 19. Your Baby Ain't Sweet Like Mine 20. She's Long, She's Tall 21. You're Mellow

his best chess sides (1998)

His Best Chess Sides (1998)
(The Complete 50’s Chess Recordings)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Mad Man Blues 02. Hey Boogie 03. Louise 04. High Priced Woman 05. Union Station Blues 06. Ground Hog Blues 07. Leave My Wife Alone 08. Ramblin' By Myself 09. Dreamin' Blues 10. Just Me and My Telephone 11. Walkin' the Boogie (Alternate) 12. Sugar Mama 13. Please Don't Go 14. I Don't Want Your Money 15. Hey Baby 16. Bluebird

Tracklist CD 2
01. Walkin' the Boogie 02. Love Blues 03. Lonely Boy Boogie (a/k/a New Boogie) 04. Apologize 05. The Journey 06. Worried Life Blues 07. Down at The Landing 08. You Have Two Hearts 09. It's My Own Fault 10. Blues for Big Town 11. Women and Money 12. Big Fine Woman 13. Tell Me Baby 14. Blues for Christmas 15. Cry Baby Cry

john lee hooker - anthology 50 years (2009)

Anthology 50 Years (2009)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Boogie Chillen 02. Hobo Blues 03. Hoogie Boogie 04. Crawlin’ King Snake 05. Huckle Up Baby 06. Let Your Daddy Ride 07. John L’s House Rent Boogie 08. I’m In the Mood 09. Dimples 10. I Love You Honey 11. No Shoes 12. No More Doggin’ 13. I Need Some Money 14. Teachin’ the Blues 15. Boom Boom 16. She’s Mine

Tracklist CD 2
01. Big Legs Tight Skirt 02. It Serves Me Right to Suffer 03. Bottle Up and Go 04. One Bourbon, One Scotch, One Beer 05. Let’s Go Out Tonight 06. I Cover the Waterfront 07. I’m Bad Like Jesse James (Live) 08. Peavine 09. John Lee Hooker – Jealous 10. The Healer 11. I’m In the Mood 12. Same Old Blues Again 13. Boogie at Russian Hill 14. Kiddio 15. Chill Out (Things Gonna Change) 16. Don’t Look Back

Músicas clássicas gravadas por John Lee Hooker e amigos. Charles Brown, Eric Clapton, Ry Cooder, Los Lobos, e Bonnie Raitt são apenas alguns dos artistas que aparecem aqui, e as músicas, selecionadas a partir de gravações feitas pelo guitarrista desde 1988.

john lee hooker - the best of friends (1998)

The Best Of Friends (1998)

Tracklist
01. Boogie Chillen' (with Eric Clapton) 02. This Is Hip (with Ry Cooder) 03. The Healer (with Carlos Santana) 04. I Cover The Waterfront (with Van Morrison) 05. Boom Boom (with Jimmie Vaughan) 06. I'm In The Mood (with Bonnie Raitt) 07. Burnin Hell (with Ben Harper) 08. Tupelo (with Roy Rogers) 09. Baby Lee (with Robert Cray) 10. Dimples (with Los Lobos) 11. Chill Out (with Carlos Santana) 12. Big Legs Tight Skirt (with Ike Turner) 13. Dont Look Back (with Charles Brown, Van Morrison)

etta james

etta jamesEtta James também conhecida pelo apelido de 'Miss Peaches' conseguia cantar tudo; cantou blues, soul, r&b, jazz e gospel. Sua música desafiava a categorização. Nascida em Los Angeles como Jamesetta Hawkins, de uma mãe solteira de 16 anos, afro-americana, sempre procurou saber quem era seu pai, desconhecido até então, que sua mãe dizia ser Minnesota Fats (Walter Rudolf Wanderone Jr.), jogador de bilhar profissional e filho de imigrantes suiços, e do qual ela recebia pensão na condição de manter segredo sobre sua paternidade. Etta teve o seu primeiro contato com a música aos 5 anos de idade, tendo aulas com James Earle Hines, diretor musical da igreja batista de St. Paul, em Los Angeles. Em 1950 mudou-se com a família para São Francisco, Califórnia, e em 1952, Etta e mais duas amigas formaram o trio 'The Creolettes', que chamou a atenção de Johnny Otis. Logo depois saiu em turnê com Johnny 'Guitar' Watson juntamente com Otis nos anos 50 e foi citada por Watson como a penúltima influência em seu estilo. Em 1959, assinou com a gravadora 'Chess', de Chicago, e começou a excursionar com artistas como Bobby Vinton, Little Richard, Fats Domino, Gene Vincent e Jerry Lee Lewis.

Gravou vários hits no final dos anos 50 e na década de 60, entre eles 'Trust in me', 'Something's got a hold on me', 'Sunday kind of love', 'All I could do was cry' e, claro, a belíssima e clássica 'At last', seu maior sucesso já gravado, que pertence ao disco de mesmo nome lançado em 1960. Etta não foi a primeira a gravar a música, que em sua versão original tinha altas doses de jazz, mas foi a dela que se tornou a mais famosa e a que iria definí-la como uma cantora lendária. Ao longo das décadas, muitas noivas ao redor do mundo usaram a canção, que foi passada de geração em geração por aparecer em trilhas sonoras de filmes como 'American Pie'. Além disso, o presidente Obama e a primeira-dama dançaram ao som do sucesso no baile de posse. Apesar de ser uma grande cantora sua discografia não é a das mais extensas se comparadas a outros músicos. Gravou, em 1967, o que é considerado um dos melhores álbuns de soul de todos os tempos, 'Tell mama', uma fusão de rock e música gospel com arranjos de sopro, ritmos de funk e refrões com cara de coral de igreja. Uma das faixas do disco, 'Security', entrou para o top 40 de singles em 1968. É impossível não gostar da voz de Etta James e de seu modo diferente de cantar, cuja sonoridade caminhava entre o soul, o blues e o jazz.

etta james & beyoncé

Etta James e Beyoncé, que a interpretou no filme 'Cadillac Records'

Etta James teve uma vida turbulenta. Nunca conheceu seu pai, mas descrevia sua mãe como ausente e uma viciada em drogas. Foi criada por Lula e Jesse Rogers, que eram donos da casa onde a mãe de James chegou a morar. Ela frequentava a igreja graças à dupla, e sua voz costumava se destacar dentro do coral. Ficou tão famosa pelos momentos nos quais cantava sozinha que dizia receber a visita de estrelas de Hollywood que queriam vê-la cantar. O r&b fez com que Etta James se afastasse da igreja. Johnny Otis que também morreu este ano, a encontrou cantando numa esquina de San Francisco com algumas amigas no começo da década de 50. Otis inverteu as sílabas do seu nome para lhe dar uma melhor sonoridade surgindo assim o seu nome. Com 15 anos, Etta então foi a Los Angeles com Otis, após forjar um documento no qual sua mãe supostamente alegava que ela tinha 18 anos, para gravar em 1955, 'The Wallflower - Dance with me, Henry', sua primeira gravação, de sua própria autoria e seu primeiro êxito. Uma música-resposta usando a mesma melodia para a música de Hank Ballard, 'Work with Me, Annie'.

Seu sucesso, entretanto, caminhou lado a lado com seus demônios pessoais. Seu vício em drogas, que começou em 1960, durou muitos anos e a levou a uma existência angustiante, destruindo sua habilidade de cantar e quase acabando com sua carreira. Pelo menos duas décadas foram necessárias para acabar com o vício da cantora. Seu marido, Artis Mills, permaneceu preso por anos após assumir a culpa, que na verdade era de James, por posse de drogas. Após voltar à ativa, ela conseguiu reconstruir sua carreira e, em 1984, foi convidada para cantar o hino nacional americano nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. Além do problema com drogas, ela lutou contra a balança, chegando a pesar 200 quilos e por isso, fazer shows numa cadeira de rodas. Nos anos 2000, fez uma cirurgia e perdeu cerca de 90 quilos. Etta James entrou para o Hall da fama do rock em 1993; ganhou um Grammy em 2003 na categoria melhor álbum contemporâneo de blues por 'Let’s roll'; um em 2004 por melhor álbum tradicional de blues por 'Blues to the bone'; e por fim, um como melhor performance vocal de jazz por 'Mystery lady: songs of Billie Holiday', de 1994. Também em 2003, levou um Grammy pelo conjunto da obra e uma estrela na calçada da fama de Hollywood. Com a piora de seu estado de saúde, a artista passou a ter cuidados médicos em casa em 2011. Etta foi diagnosticada com leucemia em 2010, e sofria ainda de demência e hepatite C. Etta James morreu aos 73 anos de idade e, segundo o empresário e amigo de longa data da artista, Lupe De Leon, estava ao lado de seu marido Artis Mills e de seus filhos.

etta james - security



etta james - tell mama (1968)    etta james - mystery lady (1994)

Tell Mama (1968)    |    Mystery Lady: Songs of Billie Holiday (1994)

Tell Mama
01. Tell Mama 02. I'd Rather Go Blind 03. Watch Dog 04. The Love Of My Man 05. I'm Gonna Take What He's Got 06. The Same Rope 07. Security 08. Steal Away 09. My Mother-In-Law 10. Don't Lose Your Good Thing 11. It Hurts Me So Much 12. Just A Little Bit 13. Do Right Woman, Do Right Man 14. You Took It 15. I Worship The Ground You Walk On 16. I Got You Babe 17. You Got It 18. I've Gone Too Far 19. Misty 20. Almost Persuaded 21. Fire 22. Do Right Woman, Do Right Man (Alternate Version)

Mystery Lady: Songs of Billie Holiday
01. Don't Explain 02. You've Changed 03. The Man I Love 04. I Don't Stand A Ghost Of A Chance With You 05. Lover Man 06. Embraceable You 07. How Deep Is The Ocean 08. I'm Afraid The Masquerade Is Over 09. Body And Soul 10. The Very Thought Of You 11. I'll Be Seeing You

etta james - let's roll (2003)    etta james - blues to the bone (2004)

Let's Roll (2003)    |    Blues to the Bone (2004)

Let's Roll
01. Somebody to Love 02. Blues Is My Business 03. Leap of Faith 04. Strongest Weakness 05. Wayward Saints of Memphis 06. Lie No Better 07. Trust Yourself 08. Change Is Gonna Do Me Good 09. Old Weakness 10. Stacked Deck 11. On The 7th Day 12. Please No More

Blues to the Bone
01. I got my mojo workin 02. Don't Start Me To Talking 03. Hush Hush 04. Lil' Red Rooster 05. That's Alright 06. Crawlin' King Snake 07. Dust My Broom 08. The Sky is Crying 09. Smokestack Lightnin' 10. You shook me 11. Driving Wheel 12. Honey, Don't Tear My Clothes

The Essential Etta James (1993)

The Essential Etta James (1993)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. All I Could Do Is Cry 02. My Dearest Darling 03. If I Can't Have You 04. A Sunday Kind Of Love 05. Anything To Say You're Mine 06. At Last 07. Seven Day Fool 08. Trust In Me 09. Don't Cry Baby 10. Fool That I Am 11. One For My Baby (And One More For The Road) 12. Waiting For Charlie (To Come Home) 13. Something's Got A Hold On Me 14. Next Door To The Blues 15. These Foolish Things (Remind Me Of You) 16. Stop The Wedding 17. Prisoner Of Love 18. Pushover 19. Would It Make Any Difference To You 20. Pay Back 21. Two Sides (To Every Story) 22. Baby What You Want Me To Do

Tracklist CD 2
01. In The Basement, Part One 02. Lovin' You More Every Day 03. Do I Make Myself Clear 04. I Prefer You 05. It Must Be Your Love 06. 842-3089 (Call My Name) 07. I'd Rather Go Blind 08. Tell Mama 09. Do Right Woman, Do Right Man 10. Security 11. Almost Persuaded 12. You Got It 13. Miss Pitiful 14. Losers Weepers 15. W.O.M.A.N. 16. I Never Meant To Love Him 17. You Can Leave Your Hat On 18. God's Song (That's Why I Love Mankind) 19. All The Way Down 20. Lovin' Arms 21. Feelin' Uneasy 22. Let's Burn Down The Cornfield

muddy waters

muddy waters

‘Buda Negro’ como era chamado por B.B. King, é considerado, antes de qualquer outro artista, como quem tocou brilhantemente uma guitarra elétrica, como um dos responsáveis pela eletrificação do blues e inspiração para guitarristas que surgiram depois como Jimi Hendrix, Santana, Keith Richards entre outros. Os ‘Rolling Stones’ adotaram como nome da banda o título de uma de suas canções gravada em 1950; ‘Whole Lotta Love’ um dos maiores sucessos de Led Zeppelin foi baseada na canção ‘You Need Love’ gravada por ele, assim como a famosa canção de Bob Dylan, ‘Like a Rolling Stone’. McKinely Morganfield, esse era o nome de Muddy Waters, apelido recebido ainda menino, e que até sua morte em 1983, aos 68 anos, tocou com várias gerações de músicos e lhes ensinou a arte mais pura que aprendeu, ainda menino, enquanto pulava nas águas barrentas do velho Mississippi. Muddy Waters começou a tocar gaita de boca, ao ouvir os álbuns dos bluesmen rurais Robert Johnson e Son House, decidiu-se pelo violão slide e a partir dos 17 anos iniciou sua carreira. Em 1944 trocou seu violão pela guitarra elétrica e seguindo outros negros da zona rural mudou-se para Chicago. Combinando o blues rural com um moderno som urbano, suas mais famosas gravações foram feitas no final dos anos 40 e início dos 50.

Eric Clapton, Muddy Waters and Johnny Winter

Eric Clapton, Muddy Waters e Johnny Winter

Quando os jovens negros americanos começaram a demonstrar desinteresse pelo blues, Muddy partiu para a Europa. Na Inglaterra foi semente para bandas de rock n’roll que surgiam no começo dos anos 60 e suas canções estavam sempre no repertório das jovens bandas inglesas. Apresentando-se em festivais de blues, folk e jazz, sendo também figura importante na criação do estilo conhecido como Rhythm and Blues e seus country-blues gravados para os arquivos da biblioteca do Congresso Americano, Muddy Waters nunca teve o sucesso comercial daqueles que o seguiram. Na década de 60, há cinco anos sem um grande sucesso, Muddy era um nome mais lembrado do que tocado e os EUA assistiam o nascimento da cena folk. Assim, Leonard e Phil Chess, donos da lendária gravadora Chess, colocaram seus velhos bluesmen para gravarem blues acústicos. Muddy Waters foi um dos primeiros a receber a proposta que aceitou sem pestanejar, até porque gravações nesse estilo não eram segredo para ele. Foi também uma época boa para os velhos bluesmen que começaram a tocar novamente em universidades para garotos brancos e a ganhar algum dinheiro após anos de penúrias.

O disco ‘Folk Singer’ de 1964, marca um grande momento na vida de Muddy, ao tocar com três gigantes do blues que ele mesmo trouxe do Mississipi: o baixista e compositor Willie Dixon, o baterista Clifton James e na outra guitarra, aquele que se tornaria um dos grandes ídolos de Jimi Hendrix e Eric Clapton: Buddy Guy. ‘Folk Singer’ foi lançado com nove músicas e surpreendeu pelas guitarras de Muddy e Buddy Guy que alternavam solos, enquanto Wilie Dixon e Clifton James faziam a base. O disco abre com uma homenagem de Muddy ao rio Mississippi. ‘Electric Mud’ de 1968, é um álbum psicadélico que Leonard e Phil Chess, convenceram Muddy Waters a gravar e foi o oitavo álbum de uma extensa discografia. Para construir o álbum, Muddy Waters tomou canções já gravadas por ele e por outros e as reconstruiu. Inicia-se com duas músicas de Willie Dixon e chega ao fim com mais duas covers, uma de Charles Williams e outra de Willie Dixon. É um álbum com muita guitarra elétrica tocada de forma agressiva, exaltada, exatamente pela influência dos arranjos psicodélicos de Jimi Hendrix. Uma aula de blues elétrico.

willie dixon muddy waters buddy guy

Willie Dixon, Muddy Waters e Buddy Guy

Em 1977, Muddy Waters lançou seu triunfante álbum de retorno 'Hard Again' gravado pela ‘Blue Sky’ após Muddy deixar a lendária 'Chess Records'. É a primeira parceria entre Muddy Waters e Johnny Winter, e o álbum revitalizou o blues moderno, trazendo Muddy Waters para uma nova geração e apresentando uma banda com músicos consagrados. Para celebrar este álbum ganhador do 'Grammy Award', foi iniciada uma turnê mundial que se tornou uma lenda ao reunir alguns dos maiores músicos de blues da história no auge de seus talentos: Muddy Waters, Johhny Winter, James Cotton, Pinetop Perkins, Bob Margolin, Willie ‘Big Eyes’ Smith e Charles Calmese. Cobertas de fuligem várias caixas de fitas de gravação, muitas rotuladas com o nome de Muddy Waters, foram quase jogadas fora depois de terem sido abandonadas pelo extinto selo ‘Blue-Sky’. Felizmente, não só essas caixas foram salvas, mas as músicas nelas contidas. Vários álbuns foram gravados compostos por materiais encontrados nessas caixas. ‘Breakin' It Up & Breakin' It Down‘ gravado em 2003 foi o último tesouro a ser escavado a partir do que quase foi para o lixo. O álbum captura a histórica turnê de Muddy Waters, Johhny Winter e James Cotton e apresenta alguns dos melhores materiais de Muddy Waters gravados ao vivo.

Muddy Waters - Folk Singer (1964)

Folk Singer (1964)

Tracklist
01. My Home Is In The Delta 02. Long Distance 03. My Captain 04. Good Morning Little School Girl 05. You Gonna Need My Help 06. Cold Weather Blues 07. Big Leg Woman 08. Country Boy 09. Feel Like Going Home 10. You can't lose what you 11. The same thing (Willie Dixon)

muddy waters - electric mud (1968)

Electric Mud (1968)

Tracklist
01. I Just Want To Make Love To You 02. I'm Your Hoochie Coochie Man 03. Let's Spend The Night Together 04. She's Alright 05. Mannish Boy 06. Herbert Harper's Free Press News 07. Tom Cat 08. The Same Thing

muddy waters - Breakin' It Up & Breakin' It Down (2003)

Breakin' It Up & Breakin' It Down (2003)
(muddy waters, johnny winter & james cotton)

Tracklist
01. Black Cat Bone/Dust My Broom 02. Can t Be Satisfied 03. Caledonia 04. Dealin With The Devil 05. Rocket 88 06. I Done Got Over It 07. How Long Can A Fool Go Wrong 08. Mama Talk To Your Daughter 09. Love Her With A Felling 10. Trouble No More 11. Got My Mojo Workin

the complete muddy waters

The Complete Muddy Waters 1947-1967 (1992)
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4    CD 5    CD 6    CD 7    CD 8    CD 9

Tracklist CD 1
01- Gypsy Woman 02- Little Anna Mae 03- Good Looking Woman 04- Mean Disposition 05- I Can't Be Satisfied 06- I Feel Like Going Home 07- Train Fare Home Blues 08- Down South Blues 09- Kind Hearted Woman 10- Sittin' Here And Drinkin' (Whiskey Blues) 11- You're Gonna Miss Me 12- Mean Red Spider 13- Stand Here Tremblin' 14- Streamline Woman 15- Hard Days 16- Muddy Junps One 17- Little Geneva 18- Canary Bird 19- Burying Ground 20- Screamin' And Cryin' 21- Where's My Woman Been 22- Last Time I Fool Around With You 23- Rollin' And Tumblin' (Part 1) 24- Rollin' And Tumblin' (Part 2)

Tracklist CD 2
01- Rollin' Stone 02- Walking Blues 03- You're Gonna Need My Help I Said 04- Sad Letter Blues 05- Early Morning Blues 06- Appealing Blues 07- Louisiana Blues 08- Evans Shuffle 09- Long Distance Call 10- Too Young To Know 11- Honey Bee 12- Howling Wolf 13- Country Boy 14- She Moves Me 15- My Fault 16- Still A Fool 17- They Call Me Muddy Waters 18- All Night Long 19- Stuff You Gotta Watch 20- Lonesome Day 21- Please Have Mercy 22- Who's Gonna Be Your Sweet Man 23- Standing Around Crying 24- Gone To Main Street 25- Iodine In My Coffee

Tracklist CD 3
01- Flood 02- My Life Is Ruined 03- She's All Right 04- Sad Sad Day 05- Turn The Lamp Down Low (Baby Please Don't Go) 06- Loving Man 07- Blow Wind Blow 08- Mad Love (I Want You To Love Me) 09- Hoochie Coochie Man 10- She's So Pretty 11- I Just Want To Make Love To You 12- Oh Yeh 13- I'm Ready 14- Smokestack Lightning 15- I Don't Know Why 16- I'm A Natural Born Lover 17- Ooh Wee 18- This Pain 19- Young Fashioned Ways 20- I Want To Be Loved 21- My Eyes (Keep Me In Trouble) 22- Mannish Boy 23- I Got To Find My Baby 24- Sugar Sweet 25- Trouble No More 26- Clouds In My Heart

Tracklist CD 4
01- Forty Days And Forty Nights 02- All Aboard 03- Just To Be With You 04- Don't Go No Further 05- Diamonds At Your Feet 06- I Live The Life I Love, I Love The Life I Live 07- Rock Me 08- Look What You've Done 09- Got My Mojo Working 10- Good News 11- Evil 12- Come Home Baby, I Wish You Would 13- Let Me Hang Around 14- I Won't Go On 15- She's Got It 16- Born Lover 17- She's 19 Years Old 18- Close To You 19- Walkin' Thru The Park 20- Blues Before Sunrise 21- Mean Mistreater 22- Crawlin' Kingsnake

Tracklist CD 5
01- Lonesome Road Blues 02- Moppers Blues 03- Take The Bitter With The Sweet 04- She's Into Something 05- Southbound Train 06- Just A Dream 07- I Feel So Good 08- Hey Hey 09- Love Affair 10- Recipe For Love 11- Baby I Done Got Wise 12- Tell Me Baby 13- When I Get To Thinking 14- Double Trouble 15- Woman Wanted 16- Read Way Back 17- I'm Your Doctor 18- Deep Down In My Heart 19- Tiger In Your Tank 20- Soon Forgotten 21- Meanest Woman 22- I Got My Brand On You

Tracklist CD 6
01- I Got My Brand On You 02- Hoochie Coochie Man 03- Baby Please Don't Go 04- Soon Forgotten 05- Tiger In Your Tank 06- I Feel So Good 07- Got My Mojo Working (Part 1)
08- Got My Mojo Working (Part 2) 09- Goodbye Newport Blues 10- Real Love 11- Lonesome Room Blues 12- Messin' With The Man 13- Going Home 14- Down By The Deep Blue Sea 15- Muddy Waters Twist 16- Tough Times 17- You Shook Me 18- You Need Love 19- Little Brown Bird 20- Five Long Years 21- Brown Skin Woman 22- Twenty Four Hours 23- Coming Round The Mountain 24- Let Me Hang Around

Tracklist CD 7
01- Elevate Me Mama 02- So Glad I'm Living 03- My Love Strikes Like Lightning 04- Early In The Morning 05- One More Mile 06- 13 Highway 07- You Don't Have To Go 08- Things I Used To Do 09- Wee Wee Baby 10- Sitting And Thinking 11- Clouds In My Heart 12- Got My Mojo Working 13- She's 19 Years Old 14- My Home Is In The Delta 15- Long Distance 16- My Captain 17- Good Morning Little School Girl 18- You Gonna Need My Help 19- Cold Weather Blues 20- Big Leg Woman 21- Country Boy 22- Feel Like Going Home

Tracklist CD 8
01- Same Thing 02- You Can't Lose Want You Ain't Had 03- My John The Conquer Root 04- Short Dress Woman 05- Put Me In Your Lay Away 06- My Dog Can't Bark 07- I Got A Rich Man's Woman 08- Making Friends 09- Betty And Dupree 10- Trouble 11- Black Night 12- Trouble In Mind 13- Take My Advice 14- Hard Loser 15- Going Back To Memphis 16- Piney Brown Blues 17- Sweet Little Angel 18- Corine, Corina 19- It's All Over 20- County Jail 21- Two Steps Forward 22- Blind Man 23- Find Yourself Another Fool 24- Kinfolk's Blues 25- Birdnest On The Ground 26- When The Eagle Flies

Tracklist CD 9
01- Rollin' Stone (Alt) 02- All Night Long (Alt) 03- She's All Right (Alt) 04- Baby Please Don't Go (Alt) 05- Hoochie Coochie Man (Alt) 06- Take The Bitter With The Sweet (Alt 1) 07- Take The Bitter With The Sweet (Alt 2) 08- She's Into Something (Alt) 09- Recipe For Love (Alt) 10- Woman Wanted (Takes 1-8) 11- Read Way Back (Takes 1-9) 12- You Shook Me (Alt) 13- Elevate Me Mama (Alt) 14- You Don't Have To Go (Alt)

muddy waters - the same thing
(muddy waters, willie dixon, clifton james & buddy guy)



eva cassidy

eva cassidyEva Marie Cassidy foi uma cantora norte-americana de vários estilos musicais: jazz, blues, folk, gospel e pop music. Apesar de tímida, era dona de voz expressiva e intérprete única que comovia como o fez com Sting, ao ouvir sua canção ‘Fields of Gold’ cantada por ela. Eva morreu prematuramente, aos 33 anos, vítima de câncer e a sua música foi postumamente promovida por um disc jockey da BBC, e surpreendentemente, tornou-se sucesso na Inglaterra. Eva nasceu em Oxon Hill, Maryland. Ela adorava música desde pequena, especialmente folk e jazz e sua cantora preferida era Buffy Sainte-Marie, cantora canadense famosa por suas canções de protesto, geralmente centradas no tema dos direitos dos índios. Eva aprendeu a tocar violão com o seu pai, Hugh. Anos depois na guitarra e no vocal juntou-se ao pai que tocava baixo e ao irmão Danny no violino. Eva e Danny também tocavam música country em um parque de diversões local, mas a sensibilidade de Eva, finalmente a convenceu que isso era muito difícil para ela. Foi vocalista de uma banda na escola, e depois estudou arte por um tempo, insatisfeita saiu e foi trabalhar em um viveiro de plantas.

Foi backing vocal ocasional para bandas de amigos até que o amigo de longa data Dave Lourim convenceu Cassidy a gravar algumas seções com o seu grupo de rock. No estúdio, Cassidy encontrou o produtor Chris Biondo, que impressionado com sua voz concordou em ajudá-la a montar uma fita demo. Cassidy se tornou uma presença regular no estúdio de Biondo, onde gravou uma grande variedade de músicas como vocalista de apoio para diversos artistas. Incentivada por Biondo formou uma banda para tocar em clubes locais, onde começou a cantar apesar de seu desconforto devido a sua timidez. Em 1991, Biondo apresentou-a a Chuck Brown, guitarrista de jazz e considerado o criador da ‘go-go music’, um subgênero do funk desenvolvido em torno de Washington DC no final dos anos 70. Chuck Brown queria gravar um álbum de standards de jazz e blues, e encontrou em Eva a sua parceira ideal para um dueto sofisticado e com alma. E foi lançado o álbum ‘The Other Side’ em 1992 e no ano seguinte os dois se apresentavam ao redor de Washington. Ajudada pelo carisma de Brown, Eva Cassidy finalmente começou a perder a insegurança e o medo intenso que tinha nas apresentações ao vivo. Apesar da voz sugestiva de Cassidy, as gravadoras esquivaram-se dela, por não saberam como comercializar seu repertório eclético, por sua vez, Cassidy se recusou terminantemente a permitir-se ser rotulada, valorizando a música acima de qualquer fama.

eva cassidyEm 1993, Eva teve um tumor maligno removido e exames posteriores foram negligenciados. Pouco tempo depois, ela rompeu com Biondo, que tinha sido seu namorado durante vários anos, no entanto, eles continuaram o relacionamento profissional. No início de 1994, a gravadora ‘Blue Note’ mostrou algum interesse em Eva como vocalista para gravar com o grupo de jazz ‘Pieces of a Dream’, e eles gravaram o single ‘Goodbye Manhattan’. Mas, Eva era incapaz de garantir um contrato de gravação. Em 1996, Cassidy fez dois shows no clube ‘Blues Alley’, e o álbum ‘Live at Blues Alley’ foi compilado a partir desses shows e lançado. Infelizmente, ele seria o único álbum solo da vida de Cassidy. Ela se mudou para Anápolis e começou a ter problemas com seu quadril, que considerou estar relacionado com o seu uso freqüente de degraus. No entanto, os raios X revelaram que havia fraturas, e os exames demonstraram que o melanoma de vários anos antes já havia se espalhado para os pulmões e ossos. Eva começou a quimioterapia, mas era demasiado tarde.

Um show beneficente em homenagem a ela foi encenado e Cassidy encontrou forças e usando muletas chegou ao palco para a sua última apresentação para amigos e admiradores cantando 'What A Wonderful World'. Por pressão da cantora celta Grace Griffith a gravadora ‘Blix Street Records’ liberou as gravações que Eva havia feito e em 1998 foi lançado ‘Songbird’. Graças às transmissões do disc jockey britânico Terry Wogan o álbum foi um grande sucesso. Em 2000, a gravadora lançou ‘Time After Time’, um conjunto de oito músicas de estúdio e quatro ao vivo que se mostrou um importante complemento ao legado de Eva Cassidy. Em 2002, a mesma gravadora lançou ‘Imagine’, um outro conjunto de gravações ao vivo e demos de estúdio.

eva cassidy - blues in the night


eva cassidy - live at blues alley (1996)    Eva Cassidy - Eva By Heart (1997)    Eva Cassidy - Time After Time (2000)

Live at Blues Alley (1996)    |    Eva by Heart (1997)    |    Time after time (2000)

Tracklist: Live at Blues Alley
01. Cheek to Cheek 02. Stormy Monday 03. Bridge over Troubled Water 04. Fine and Mellow 05. People Get Ready 06. Blue Skies 07. Tall Trees in Georgia 08. Fields of Gold 09. Autumn Leaves 10. Honeysuckle Rose 11. Take Me to the River 12. What a Wonderful World 13. Oh, Had I a Golden Thread

Tracklist: Eva By Heart
01. I Know You By Heart 02. Time Is A Healer 03. Wayfaring Stranger 04. Wade In The Water 05. Blues In The Night 06. Songbird 07. Need Your Love So Bad (Duet With Chuck Brown) 08. Say Goodbye 09. Nightbird 10. Waly Waly 11. How Can I Keep From Singing

Tracklist: Time After Time
01. Kathy's Song 02. Ain't No Sunshine 03. The Letter 04. At Last 05. Time After Time 06. Penny To My Name 07. I Wandered By A Brookside 08. I Wish I Was A Single Girl Again 09. Easy Street Dream 10. Anniversary Song 11. Woodstock 12. Way Beyond The Blue

eva cassidy - songbird (1998)    eva cassidy - imagine (2002)    eva cassidy - wonderful world (2004)

Songbird (1998)    |    Imagine (2002)    |    Wonderful World (2004)

Tracklist: Songbird
01. Fields Of Gold 02. Wade In The Water 03. Autumn Leaves 04. Wayfaring Stranger 05. Songbird 06. Time Is A Healer 07. I Know You By Heart 08. People Get Ready 09. Oh, Had I A Golden Thread 10. Over The Rainbow

Tracklist: Imagine 01. It Doesn't Matter Anymore 02. Fever 03. Who Knows Where the Time Goes? 04. You've Changed 05. Imagine 06. Still Not Ready 07. Early Morning Rain 08. Tennessee Waltz 09. I Can Only Be Me 10. Danny Boy

Tracklist: Wonderful World
01. What A Wonderful World 02. Kathy's Song 03. Say Goodbye 04. Anniversary Song 05. How Can I Keep From Singing? 06. You Take My Breath Away 07. Drowning In The Sea Of Love 08. Penny To My Name 09. You've Changed 10. It Doesn't Matter Any More 11. Waly Waly

charlie parker

post relacionado
round midnight

charlie parkerNo início da carreira Charlie Parker foi apelidado de ‘Yardbird’ e esse apelido mais tarde foi encurtado para ‘Bird’ e permaneceu como o seu apelido para o resto da sua vida. Parker foi retratado em dois filmes cult. Clint Eastwood dirigiu a cinebiografia ‘Bird’. Bertrand Tavernier, em 'Round Midnight', criou um fictício Dale Turner, visivelmente inspirado nele, e interpretado por outro famoso saxofonista, Dexter Gordon, que nunca tinha trabalhado como ator. Parker é considerado um dos melhores músicos de jazz. Sua reputação como um dos melhores saxofonistas é tal que alguns críticos dizem que ele é insuperável. Os improvisos possuíam uma intensidade, liberdade e virtuosismo até então desconhecidos no jazz. Charlie Parker aprendeu a tocar sax sozinho tentando tirar os sons que vinham de uma vitrola velha. Acontece que a vitrola tinha problemas na velocidade da rotação: a música saía em outro tom. E assim Bird começou a tocar sax em tons que ninguém tocava. Por várias vezes fundiu o jazz com outros estilos musicais, do clássico à música latina, abrindo um caminho seguido mais tarde por outros. Inúmeros músicos têm estudado a música de Parker e absorvido elementos do seu estilo.

Em períodos de muita dificuldade financeira, tocou em orquestras e rompeu com elas e passou a tocar com pequenos conjuntos, principalmente com o grupo de músicos geniais que se reuniam no 'Minton Playhouse', um bar e clube de jazz fundado pelo saxofonista tenor Henry Minton em 1938 localizado no primeiro andar do Hotel Cecil no Harlem. O ‘Minton’ viria a formar o núcleo criativo do bebop, uma das correntes mais influentes do jazz, em suas jam sessions em 1940, onde se apresentavam Thelonious Monk e Kenny Clarke, Charlie Christian, Charlie Parker e Dizzy Gillespie. Segundo alguns jazzistas, as melodias ágeis e velozes desse estilo musical se assemelhavam ao som produzido pelos martelos nas obras das ferrovias americanas. Charlie Parker é juntamente com Dizzy Gillespie, o criador e a principal voz instrumental do bebop. Uma apresentação no ‘Massey Hall’, em Toronto, Canadá, em 53, foi considerada pela crítica como o melhor show de jazz da história. A banda era formada por Parker, Dizzy Gillespie, Bud Powell, Charles Mingus e Max Roach. 'The Quintet - Jazz at Massey Hall’ tornou-se obrigatório na coleção dos jazzófilos.

charlie parker - jazz at massey hall 1953

'The Quintet - Jazz at Massey Hall’ (1953)

Charles Christopher Parker Jr. nasceu no ano de 1920 em Kansas City e teve uma vida pessoal extremamente conturbada. Deixou a escola aos 15 anos e logo aderiu às drogas, que consumiriam sua vida e que o levou à morte prematura aos 35 anos. Mergulhado no álcool e nas drogas, ‘Bird’ morreu em Nova York, de pneumonia e congestão. Seu estado era tão deplorável que o médico responsável pela autópsia supôs que tivesse entre 50 e 60 anos. A pobreza e a tentativa dos jovens de buscar um alívio à vida sofrida fizeram com que as drogas se disseminassem pelos guetos negros das grandes cidades americanas desde o início do século 20. A morfina era uma das drogas mais populares até o fim da ‘Segunda Guerra Mundial’, quando a máfia italiana começou a traficar heroína para os Estados Unidos. Charlie Parker acompanhou tragicamente essa evolução histórica, viciando-se em morfina na adolescência e, mais tarde, substituindo-a pela heroína. Um dos episódios mais dramáticos de sua vida começou com uma crise de abstinência durante uma temporada em Los Angeles, em 46. Sem drogas, porque seu fornecedor tinha sido preso, ele buscou refúgio no álcool, piorando as coisas. Certa noite, bêbado, acabou armando uma tremenda confusão no hotel em que estava hospedado. Detido pela polícia foi confinado durante seis meses em um hospital público, para tratamento. Lá, ele compôs um de seus clássicos, ‘Relaxin' at Camarillo’, cujo título refere-se ao nome do hospital.

charlie parker - embraceable you


charlie parker - portrait (2007)

Portrait (2007)
CD 01    CD 02    CD 03    CD 04    CD 05    CD 06    CD 07    CD 08    CD 09    CD 10

Tracklist CD 1: Groovin' High
01. Swingmatism 02. The Jumpin' Blues 03. Tiny's Tempo 04. I'll Always Love You 05. Romance Without Finance 06. Red Cross 07. Dream Of You 08. Groovin' High 09. Dizzy Atmosphere 10. All The Things You Are 11. Salt Peanuts 12. Shaw 'nuff 13. Hot House 14. Hallelujah 15. Get Happy 16. Slam Slam Blues 17. Congo Blues 18. Takin' Off 19. 20th Century Blues 20. The Street Beat

Tracklist CD 2: Now's the Time
01. Warming Up A Riff 02. Billie's Bounce 03. Now's The Time 04. Thriving On A Riff 05. Meandering 06. Ko-Ko 07. Dizzy's Boogie 08. Flat Foot Boogie 09. Poppity Pop 10. Slim's Jam 11. Diggin' Diz 12. Moose The Mooche 13. Yardbird Suite 14. Ornithology 15. Night In Tunisia 16. Max (Is) Making Wax 17. Lover Man 18. The Gypsy 19. Be-Bop 20. This Is Always

Tracklist CD 3: Bird of Paradise
01. Dark Shadows 02. Bird's Nest 03. Cool Blues 04. Relaxin' At Camarillo 05. Cheers 06. Carvin' The Bird 07. Stupendous 08. Donna Lee 09. Chasin' The Bird 10. Cheryl 11. Buzzy 12. Milestones 13. Little Willie Leaps 14. Half Nelson 15. Slippin' The Bells 16. Dexterity 17. Bongo Pop 18. Dewey Square 19. The Hymn 20. Bird Of Paradise

Tracklist CD 4: Blue Bird
01. Embraceable You 02. Bird Feathers 03. Klact-Oveeseds-Tene 04. Scrapple From The Apple 05. My Old Flame 06. Out Of Nowhere 07. Don't Blame Me 08. Drifting On A Reed 09. Quasimodo 10. Charlie's Wig 11. Bongo Beep 12. Crazeology 13. How Deep Is The Ocean? 14. Another Hair-Do 15. Blue Bird 16. Klaunstance 17. Bird Gets The Worm 18. Barbados 19. Ah-Leu-Cha 20. Constellation

Tracklist CD 5: Parker's Mood
01. Parker's Mood 02. Perhaps 03. Marmaduke 04. Steeplechase 05. Merry-Go-Round 06. Segment 07. Cardboard 08. Passport 09. Star Eyes 10. Ballade 11. Bloomdido 12. My Melancholy Baby 13. Relaxin' With Lee 14. Leap Frog 15. An Oscar For Treadwell 16. Mohawk 17. My Melancholy Baby 18. Relaxin' With Lee 19. Overtime 20. Victory Ball

Tracklist CD 6: Confirmation
01. Oh, Lady, Be Good! 02. A Night In Tunisia 03. Dizzy Athmosphere 04. Groovin' High 05. Confirmation 06. Ko-Ko 07. Embraceable You 08. Ornithology 09. Cheryl 10. Ko-Ko 11. Bird Of Paradise 12. Now's The Time

Tracklist CD 7: What's New
01. Sweet Georgia Brown (Part I + II) 02. Lady Be Good (Part I + II) 03. Ballad Medley 04. What Is This Thing Called Love 05. Jam Blues

Tracklist CD 8: Fiesta
01. Mango Mangue 02. No Noise (Part I + II) 03. My Little Suede Shoes 04. Okiedoke 05. Un Poquito De Tu Amor 06. Why Do I Love You 07. Tico-Tico 08. Fiesta 09. Afro-Cuban Jazz Suite 10. La Cucaracha 11. Mama Inez 12. Estrellita 13. La Paloma 14. Begin The Beguine

Tracklist CD 9: Star Eyes
01. The Opener 02. Lover Man 03. Swedish Schnapps 04. Blues For Alice 05. K.C. Blues 06. She Rote 07. Star Eyes 08. Funky Blues 09. I Can't Get Started 10. What Is This Thing Called Love?

Tracklist CD 10: Just Friends
01. Easy To Love 02. Summertime 03. I Didn't Know What Time It Was 04. If I Should Lose You 05. Just Friends 06. Everthing Happens To Me 07. I'm In The Mood For Love 08. I'll Remember April 09. Dancing In The Dark 10. Out Of Nowhere 11. Laura 12. East Of The Sun 13. They Can't Take That Away From Me 14. Temptation 15. Lover 16. Autumn In New York 17. Stella By Starlight

‘Bird e Diz’ é um álbum de estúdio de Charlie Parker e o trompetista Dizzy Gillespie, gravado primeiramente em 1950 em New York. Duas faixas em destaque na prensagem original, ‘Passport’ e ‘Visa’ foram gravadas por Parker em 1949, sem Gillespie e com um pessoal diferente do que das outras faixas. Produzido por Norman Granz, o álbum contém composições executadas com o padrão bebop, instrumentação de saxofone, trompete, piano, baixo e bateria. E é a gravação colaborativa definitiva de Parker e Gillespie, e também é notável por apresentar uma rápida aparição do pianista Thelonious Monk. Norman Granz é geralmente lembrado também por sua notável posição anti-racista e consequentemente pelas batalhas que lutou pelos seus artistas, dos quais muitos, talvez a maioria, eram negros, em tempos e lugares onde a cor da pele era a causa da discriminação aberta. Em 1955, em Houston, Texas, ele, pessoalmente, retirou os rótulos de ‘brancos’ e ‘negros’, que separavam a audiência no auditório, onde dois concertos estavam sendo realizados por Ella Fitzgerald e Dizzy Gillespie. Preso pela polícia local, depois de algumas negociações foi liberado, no entanto, insistiu na luta contra as acusações, que lhe custou uma imensa soma em dinheiro. Oscar Peterson contou como Granz uma vez insistiu para que taxistas brancos levassem seus artistas negros como clientes, mesmo quando um policial apontava uma pistola carregada em seu estômago. Granz também foi um dos primeiros a pagar para artistas brancos e negros o mesmo salário e dar-lhes igualdade de tratamento, mesmo em pequenos detalhes, como vestiários. Amado por seus artistas, não só porque ele pagava mais do que a média, ele teve três objetivos principais na vida, como ele várias vezes e francamente declarou: lutar contra o racismo, para dar aos ouvintes um bom produto e ganhar dinheiro com música boa.

charlie parker - bird and diz (1950)

Bird & Diz (1950)

Tracklist
01. Bloomdido (Master Take) 02. An Oscar For Treadwell (Alternate Take) 03. An Oscar For Treadwell (Master Take) 04. Mohawk (Alternate Take) 05. Mohawk (Master Take) 06. My Melancholy Baby (Alternate Take) 07. My Melancholy Baby (Master Take) 08. Leap Frog (Alternate Take) 09. Leap Frog (Alternate Take) 10. Leap Frog (Alternate Take) 11. Leap Frog (Master Take) 12. Relaxin' With Lee (Alternate Take) 13. Relaxin' With Lee (Master Take)

‘Jazz at Massey Hall’ é um álbum ao vivo com a apresentação de ‘The Quintet’ em 1953 no Massey Hall em Toronto. O quinteto era composto por vários líderes da época: Dizzy Gillespie, Charlie Parker, Bud Powell, Charles Mingus e Max Roach. Foi a única vez que os cinco gravaram juntos e foi a última reunião registrada de Parker e Gillespie. Nesta data, Parker tocou um saxofone Grafton, pois havia penhorado seu saxofone, algumas fontes dizem para comprar heroína. Um representante de vendas da Grafton, ou o dono da empresa, pediu para Parker tocar o saxofone. Embora Parker estivesse sob um contrato exclusivo para utilizar apenas um tipo de saxofone, enquanto se apresentasse nos Estados Unidos, fora dos EUA, ele estava livre para usar qualquer sax que quisesse, incluindo este Grafton. Parker foi o mais notável representante de um saxofone Grafton, e este em particular, foi vendido na casa de leilões ‘Christie’ em Londres em 1994, e o comprador foi o Museu do Jazz Americano localizado na cidade de Parker, Kansas City, Missouri. E Charlie Parker também não poderia aparecer na capa do álbum original, também por razões contratuais, assim foi creditado como Charlie Chan, uma alusão ao detetive fictício chinês-americano criado por Earl Derr Biggers. O plano original era para que a Jazz Society e os músicos partilhassem os lucros da apresentação. No entanto, devido a uma luta de boxe entre Rocky Marciano e Jersey Joe Walcott ocorrendo simultaneamente, o público era tão pequeno que a Jazz Society foi incapaz de pagar as taxas dos músicos. Parker foi o único capaz de realmente ganhar dinheiro; Gillespie, por anos e anos, reclamou que não recebeu seus honorários. A nova versão reeditada em 2004 contém o concerto completo, das quais das faixas 5 a 11 são sem Parker e Gillespie, e foi intitulada ‘Complete Jazz at Massey Hall’. A apresentação foi introduzida ao ‘Grammy Hall of Fame’ em 1995, e é, por muitos, considerado o maior concerto de jazz de sempre.

charlie parker - complete jazz at massey hall (2004)

Complete Jazz at Massey Hall (2004)

Personnel: Charlie Parker (alto saxophone); Dizzy Gillespie (trompete); Bud Powell (piano); Charles Mingus (baixo); Max Roach (bateria)
Tracklist: 01. Perdido 02. Salt Peanuts 03. All the Things You Are 04. 52nd Street Theme 05. Drum Conversation - Max Roach 06. Cherokee 07. Enbraceable You 08. Hallelujah (Jubilee) 09. Sure Thing 10. Lullaby of Birdland 11. I've Got You Under My Skin 12. Wee (Allen's Alley) 13. Hot House 14. Night in Tunisia

charlie parker - the essential (1992)

The Essential Charlie Parker (1992)

Tracklist
01. Now's The Time 02. If I Should Lose You 03. Mango Mangue 04. Bloomdido 05. Star Eyes 06. Confirmation 07. My Little Suede Shoes 08. Just Friends 09. Loverman 10. I Got Rhythm 11. Repetition 12. K.C. Blues 13. Relaxing With Lee 14. April In Paris 15. Okiedoke 16. The Song Is You

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...