AVISO AOS NAVEGANTES

Uma das várias contas que tenho no Mediafire foi bloqueada. Portanto, vários links estão desativados. Aos poucos esses links serão reativados.

Grata,
Mara*



the red hot chili peppers

red hot chili peppers‘The Red Hot Chili Peppers’ por aproximadamente 27 anos conseguiu manter o status de lenda do rock. Com uma mistura de funk, hard rock, rock psicodélico e punk, a banda conquistou grandes batalhas para chegar ao ponto em que ela esta hoje. E os integrantes com altos e baixos, e a luta contra o vício, serem respeitados como estrelas do rock icônico. Poucos grupos de rock dos anos 80 quebraram tantas barreiras musicais e foram tão originais quanto ‘Red Hot Chili Peppers’ e geraram uma série de imitadores em seu rastro. As raízes da banda estão na Califórnia em uma amizade forjada por três companheiros de escola, Anthony Kiedis, Michael Balzary e Hillel Slovak, no final dos anos 70. Enquanto Michael Balzary e Hillel Slovak eram grandes promessas musicais, no trompete e na guitarra, respectivamente, Anthony Kiedis era focado em poesia. Durante este tempo, Slovak ensinou Balzary a tocar baixo, enquanto a dupla encorajou Kiedis a colocar a sua poesia na música. Fortemente influenciados pela crescente cena punk de Los Angeles, bem como o funk, o trio começou a ensaiar com outro amigo, o baterista Jack Irons, levando à formação de ‘Tony Flow & the Miraculously Majestic Masters of Mayhem’, um quarteto que tocava nos bares ao longo da Sunset Strip, durante os anos 80.

Em 1983, Michael Balzary adotou o nome artístico ‘Flea’ e o grupo mudou seu nome para ‘The Red Hot Chili Peppers’. Foi durante este tempo que nas apresentações ao vivo resolveram ficar completamente nus, apenas com uma meia cobrindo os genitais, o que se tornaria a marca registrada da banda. A notícia se espalhou rapidamente resultando em um contrato de gravação com a EMI. Mas antes que a banda pudesse gravar Flea e Kiedis tiveram um golpe decepcionante quando Hillel Slovak e Jack Irons anunciaram que estavam deixando a banda para se concentrar em outra que estavam formando, a ‘What Is This’. Com Jack Sherman na guitarra e Cliff Martinez na bateria ‘The Red Hot Chili Peppers’ lançou o álbum auto-intitulado em 1984. Mas a ausência dos dois membros originais o álbum não conseguiu captar a emoção dos shows ao vivo.

hillel slovak, flea, anthony kiedis e jack irons

hillel slovak, flea, anthony kiedis e jack irons

Em 1985, a banda ‘What Is This’ foi desarticulada após a emissão de um único álbum auto-intitulado e Slovak e Irons voltaram ao Peppers, resultando na gravação do álbum ‘Freaky Styley’. A aceitação do álbum foi melhor em relação ao anterior, mas ainda faltava o ardor das apresentações ao vivo, um problema que iria finalmente ser resolvido com o próximo álbum de 1987, ‘The Uplift Mofo Party Plan’, o primeiro do grupo a entrar para as paradas de sucesso. Um ano depois foi lançado ‘The Abbey Road E.P’, um EP (gravação que é longa demais para ser considerada um single, e muito curta para ser classificada como álbum). ‘The Abbey Road E.P’ foi o último álbum de Hillel Slovak, que morreu nesse mesmo ano por causa de uma overdose de heroína.

Na esteira da morte de Slovak, Irons deixou o grupo pela segunda e última vez, enquanto Kiedis também lutava contra vício das drogas. Depois de uma nova formação, que não deu certo, com o guitarrista DeWayne ‘Blackbyrd’ McKnight e com o baterista Darren Henley Peligro, mais conhecido como D. H. Peligro, a dupla encontrou substitutos dignos para a banda, John Frusciante e Chad Smith. E ‘The Red Hot Chili Peppers’ teve sucesso imediato com o álbum ‘Mother's Milk’ devido aos vídeos da MTV para o cover ‘Higher Ground’ de Stevie Wonder e ‘Knock Me Down’ uma homenagem ao amigo Hillel Slovak. Os membros da banda sabiam que o próximo lançamento teria que ser o mais importante da carreira, para isso se mudaram para uma mansão que transformaram em estúdio de gravação com o renomado produtor Rick Rubin para trabalhar no que viria a ser o álbum mais bem sucedido, o ‘Blood Sugar Sex Magik’ que gerou o hit ‘Give It Away’.

flea, john frusciante, anthony kiedis e chad smith

flea, john frusciante, anthony kiedis e chad smith

red hot chili peppers

Durante a turnê do álbum ‘Freaky Styley’, em 1986, Kiedis toca em sua cidade natal pela primeira vez, e tem a ‘brilhante idéia’ de usar as famosas meias nos genitais (sock on cocks), o que acaba sendo um escândalo na sua cidade e se tornaria a marca registrada da banda.

Mas nem tudo estava bem. Como seu predecessor, John Frusciante, durante a turnê desse álbum, por ter lidado mal com o sucesso se tornou viciado em drogas pesadas, e de repente deixou a banda no início de 1992. Implacável, a banda recrutou o guitarrista Arik Marshall. Quando a banda voltou ao estúdio para trabalhar em seu próximo lançamento, logo se tornou evidente que Marshall não se encaixava, e ele foi substituído por Jesse Tobias. Mas antes que Tobias pudesse gravar uma nota com o grupo, ele foi substituído por Dave Navarro, ex-guitarrista do ‘Jane's Addiction’, e foi lançado ‘One Hot Minute’, em 1995. Apesar do sucesso considerável, o álbum não conseguiu igualar o sucesso de seu antecessor, e Navarro deixou a banda no início de 1998. John Frusciante que deixou o grupo, lançou um par de álbuns individuais obscuros e circularam rumores de que estava sem teto, sem dinheiro e doente devido às drogas. Depois de uma reabilitação e de colocar os seus demônios para fora, aceitou prontamente o convite para se juntar ao ‘Red Hot Chili Peppers’ mais uma vez. O álbum de reencontro, ‘Californication’, lançado em 1999, foi um sucesso monstro, reafirmando o ‘Red Hot Chili Peppers’ como uma das bandas top do rock alternativo.

flea, chad smith, dave navarro e anthony kiedis

flea, chad smith, dave navarro e anthony kiedis

Nos meses seguintes a banda se envolveu em situações bizarras e controversas. Em primeiro lugar, a sua recusa em tocar músicas do álbum ‘One Hot Minute’ durante uma turnê foi uma decisão impopular com alguns fãs e feriu Dave Navarro. Em seguida, foi reacesa uma rixa pessoal entre Kiedis e Mike Patton, famoso vocalista da banda ‘Faith No More’, por se recusar a se apresentar em uma série de concertos na Europa com ‘Mr. Bungle’, banda de música experimental criada em 1985 por Mike Patton. Patton respondeu à desfeita com um ‘tributo’ a ‘Red Hot Chili Peppers’, onde ridicularizava seus movimentos de palco, fingiu injetar heroína e imitou comentários de Kiedis. ‘Red Hot Chili Peppers’ também se apresentou no malfadado festival ‘Woodstock '99’, onde o desempenho como atração principal foi recebido com uma revolta em grande escala.

As turnês com o ‘Foo Fighters’ e ‘Pearl Jam’ em 2000 foram sem problemas, mas a parada planejada em Israel foi interrompida devido a preocupações de segurança. Eles voltaram para o estúdio em 2001 e lançaram um novo álbum, ‘By the Way’. A compilação ‘Greatest Hits’ em 2003, seguido por ‘Stadium Arcadium’, em 2006. Após uma extensa turnê de apoio, a banda fez uma pausa e os membros perseguiram interesses individuais. Flea começou a estudar teoria musical e tocou em uma variedade de projetos paralelos. Kiedis tentou transformar sua autobiografia, ‘Scar Tissue’, em um programa de televisão. Smith juntou-se a Sammy Hagar, Michael Anthony e Joe Satriani no supergrupo ‘Chickenfoot’. Frusciante lançou ‘The Empyrean’, o seu décimo álbum solo, em 2009, época em que ele deixou a banda. Seu substituto foi Josh Klinghoffer, que já tocava guitarra como músico de apoio na turnê de divulgação do álbum ‘Stadium Arcadium’. O primeiro álbum com Klinghoffer, ‘I'm with You’ lançado no final de 2011, foi nomeado para o Grammy Award na categoria de melhor álbum de rock.

chad smith, flea, anthony kiedis e josh klinghoffer

chad smith, flea, anthony kiedis e o estreante josh klinghoffer

Eles eram garotos de Hollywood que descobriram um som diferente. Eles estavam fora do contexto, fora do que havia na época. Eram diferentes. E causaram polêmica desde o início, com suas famosas ‘Socks on Cocks’, mas, por trás da fachada extravagante havia uma amizade inabalável. O grupo passou por diversos problemas, que incluíram a morte do guitarrista fundador Hillel Slovak e testemunhou o quase declínio total de outro guitarrista, John Frusciante. Após a recuperação, ‘Red Hot Chili Peppers’ abriu novas trilhas e atingiu seu maior sucesso, se tornando um dos maiores grupos de rock no mundo.

Anthony Kiedis teve vários estilos vocais. No começo de carreira até o álbum ‘Blood Sugar Sex Magik’ ele cantava no estilo ‘rap’. Com o amadurecimento do grupo, a partir de ‘Californication’ ele reduziu a frequência de rap nas músicas. O estilo mais recente foi desenvolvido através de treinamento contínuo. O estilo de Flea no baixo é uma fusão de funk, rock psicodélico, punk e hard rock. O modo de Flea tocar mudou ao passar dos anos. Sua técnica principal eram as tradicionais linhas de baixo do punk rock, no entanto, ele mudou esse estilo quando o ‘Red Hot Chili Peppers’ foi formado. Hillel Slovak tinha o estilo fortemente baseado em blues e funk. Suas principais influências foram Kiss, Jimi Hendrix e Led Zeppelin. Seu método de tocar foi muito baseado na improvisação, um estilo comumente usado no funk. Ele também era conhecido por seu estilo agressivo. Em John Frusciante, o estilo musical evoluiu ao longo de sua carreira. Seu modo de tocar guitarra emprega melodia e emoção, em vez de virtuosismo. Frusciante trouxe um som mais melódico em ‘By the Way’, ‘Californication’ e ‘Stadium Arcadium’. Isso contrasta com seu estilo no álbum ‘Mother's Milk’ e no ‘Blood Sugar Sex Magik’. Dave Navarro trouxe um som totalmente diferente para a banda durante o seu tempo no grupo, com o seu estilo baseado em heavy metal, rock progressivo e psicodélico. Chad Smith mistura funk, rock metal, e jazz. Suas influências incluem o baterista de jazz Buddy Rich e o baterista do ‘Led Zeppelin’, John Bonham.



red hot chili peppers - freaky styley (1985)    red hot chili peppers - the uplift mofo party plan (1987)    red hot chili peppers - mother's milk (1989)

Freakey Styley (1985)    |    The Uplift Mofo Party Plan (1987)    |    Mother's Milk (1989)

Tracklist: Freakey Styley
01. Jungle Man 02. Hollywood 03. American Ghost Dance 04. If You Want Me To Stay 05. Nevermind 06. Freaky Styley 07. Blackeyed Blond 08. The Brother's Cup 09. Battle Ship 10. Lovin' and Touchin' 11. Catholic School Girls Rule 12. Sex Rap 13. Thirty Dirty Birds 14. Yertle The Turtle

Tracklist: The Uplift Mofo Party Plan
01. Fight Like A Brave 02. Funky Crime 03. Me and My Friends 04. Backwoods 05. Skinny Sweaty Man 06. Behind The Sun 07. Subterranean Homesick Blues 08. Special Secret Song Inside 09. No Chump Love Sucker 10. Walkin' On Down The Road 11. Love Trilogy 12. Organic Anti-Beat Box Band

Tracklist: Mother's Milk
01. Good Time Boys 02. Higher Ground 03. Subway To Venus 04. Magic Johnson 05. Nobody Weird Like Me 06. Knock Me Down 07. Taste The Pain 08. Stone Cold Bush 09. Fire 10. Pretty Little Ditty 11. Punk Rock Classic 12. Sexy Mexican Maid 13. Johnny, Kick A Hole In The Sky

red hot chili peppers - blood sugar sex magik (1991)    red hot chili peppers - one hot minute (1995)    red hot chili peppers - californication (1999)
Blood Sugar Sex Magik (1991)    |    One Hot Minute (1995)    |    Californication (1999)

Tracklist: Blood Sugar Sex Magik
01. The Power of Equality 02. If You Have To Ask 03. Breaking The Girl 04. Funky Monks 05. Suck My Kiss 06. I Could Have Lied 07. Mellowship Slinky In B Major 08. The Righteous & The Wicked 09. Give It Away 10. Blood Sugar Sex Magik 11. Under The Bridge 12. Naked In The Rain 13. Apache Rose Peacock 14. The Greeting Song 15. My Lovely Man 16. Sir Psycho Sexy 17. They're Red Hot (Robert Johson Cover)

Tracklist: One Hot Minute
01. Warped 02. Aeroplane 03. Deep Kick 04. My Friends 05. Coffee Shop 06. Pea 07. One Big Mob 08. Walkabout 09. Tearjerker 10. One Hot Minute 11. Falling Into Grace 12. Shallow Be Thy Game 13. Transcending

Tracklist: Californication
01. Around The World 02. Parallel Universe 03. Scar Tissue 04. Otherside 05. Get On Top 06. Californication 07. Easily 08. Porcelain 09. Emit Remmus 10. I Like Dirt 11. This Velvet Glove 12. Savior 13. Purple Stain 14. Right On Time 15. Road Trippin'

red hot chili peppers - by the way (2002)    red hot chili peppers - I'm with you (2011)    red hot chili peppers - stadium arcadium (2006)

By The Way (2002)    |    I'm With You (2011)

Stadium Arcadium (2006)
CD 1    CD 2

Tracklist: By The Way
01. By The Way 02. Universally Speaking 03. This Is The Place 04. Dosed 05. Don't Forget Me 06. The Zephyr Song 07. Can't Stop 08. I Could Die For You 09. Midnight 10. Throw Away Your Television 11. Cabron 12. Tear 13. On Mercury 14. Minor Thing 15. Warm Tape 16. Venice Queen

Tracklist: I'm With You
01. Monarchy of Roses 02. Factory of Faith 03. Brendan's Death Song 04. Ethiopia 05. Annie Wants a Baby 06. Look Around 07. The Adventures of Rain Dance Maggie 08. Did I Let You Know 09. Goodbye Hooray 10. Happiness Loves Company 11. Police Station 12. Even You Brutus 13. Meet Me at the Corner 14. Dance, Dance, Dance

Tracklist: Stadium Arcadium
CD 1 - Jupiter: 01. Dani California 02. Snow ((Hey Oh)) 03. Charlie 04. Stadium Arcadium 05. Hump de Bump 06. She's Only 18 07. Slow Cheetah 08. Torture Me 09. Strip My Mind 10. Especially In Michigan 11. Warlocks 12. C'mon Girl 13. Wet Sand 14. Hey
CD 2 - Mars: 01. Desecration Smile 02. Tell Me Baby 03. Hard To Concentrate 04. 21st Century 05. She Looks To Me 06. Readymade 07. If 08. Make You Feel Better 09. Animal Bar 10. So Much I 11. Storm In A Teacup 12. We Believe 13. Turn It Again14. Death of A Martian

red hot chili peppers - what hits! (1992)    red hot chili peppers - under the covers (1998)    red hot chili peppers - greatest hits (2003)

What Hits!? (1992)    |    Under The Covers (1998)    |    Greatest Hits (2003)

Tracklist: What Hits!?
01. Higher Ground (Stevie Wonder Cover) 02. Fight Like A Brave 03. Behind The Sun 04. Me & My Friends 05. Backwoods 06. True Men Don't Kill Coyotes 07. Fire (The Jimi Hendrix Experience Cover) 08. Get Up and Jump 09. Knock Me Down 10. Under The Bridge 11. Show Me Your Soul 12. If You Want Me To Stay (Sly and The Family Stone Cover) 13. Hollywood (Africa) (The Meters Cover) 14. Jungle Man 15. The Brother's Cup 16. Taste The Pain 17. Catholic School Girls Rule 18. Johnny, Kick A Hole In The Sky

Tracklist: Under The Covers: Essential Red Hot Chili Peppers
01. They're Red Hot (Robert Johson Cover) 02. Fire (The Jimi Hendrix Experience Cover) 03. Subterranean Homesick Blues (Bob Dylan Cover) 04. Higher Ground (Stevie Wonder Cover) 05. If You Wan Me To Stay (Sly and The Family Stone Cover) 06. Why Don't You Love Me? (Hank Williams Cover) 07. Tiny Dancer (Live) (Elton John Cover) 08. Castles Made of Sand (Live) (The Jimi Hendrix Experience Cover) 09. Dr. Funkestein (Live) (Parliament Cover) 10. Hollywood (Africa) (The Meters Cover) 11. Search and Destroy (The Stooges Cover) 12. Higher Ground (Daddy-O Mix) 13. Hollywood (Africa) (Extended Dance Mix)

Tracklist: Greatest Hits
01. Under The Bridge 02. Give It Away 03. Californication 04. Scar Tissue 05. Soul To Squeeze 06. Otherside 07. Suck My Kiss 08. By The Way 09. Parallel Universe 10. Breaking The Girl 11. My Friends 12. Higher Ground 13. Universally Speaking 14. Road Trippin 15. Fortune Faded 16. Save The Population

ABC of the blues 12: buddy guy, arthur gunter & slim gaillard

posts relacionados
ABC of the blues

buddy guyBuddy Guy (1936), guitarrista e cantor, conhecido por servir de inspiração para Jimi Hendrix e outras lendas dos anos 60, é considerado um importante expoente do chamado Chicago blues, tornado famoso por Muddy Waters e Howlin' Wolf. Buddy Guy foi considerado o 23º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana ‘Rolling Stone’. Nascido George Guy cresceu sob os conflitos da segregação racial onde banheiros, restaurantes e assentos de ônibus eram separados para brancos e negros. Com sete anos de idade Buddy construiu a sua primeira guitarra, um pedaço de madeira com duas cordas amarradas com os grampos de cabelo de sua mãe e assim desenvolvia as suas ‘técnicas musicais’. Depois ganhou a sua primeira guitarra real, um violão acústico Harmony. Em 1955, com 19 anos, Buddy trabalhava na Universidade Estadual da Louisiana e nunca havia saído do estado quando em 1957 um amigo que era cozinheiro em Chicago foi visitá-lo e convidou-o para ir para Chicago tocar sua guitarra de noite e trabalhar de dia. Guy se interessou pela proposta, pois poderia sair a noite para ver os mestres Howlin’ Wolf, Muddy Waters e Little Walter. No mesmo ano, Buddy chegou em Chicago, arrumou um emprego e começou a tocar em bares de Chicago e seu estilo foi bem aceito. E começou a chamar atenção. Gostava de tocar como B.B. King e atuar no palco como Magic Slim. Resolveu, então, enviar uma fita para a gravadora ‘Chess Records’, que contava com Willie Dixon, Muddy Waters, Howlin Wolf, Little Walter e Koko Taylor. E em 1960 já era o guitarrista das gravações destes grandes mestres da Chess. Mas Buddy não estava satisfeito, pois fazia apenas o acompanhamento. Ele queria mais, queria fazer suas próprias composições. Em 1967 gravou ‘I Left My Blues’ e em 1968 foi para a ‘Vanguard Records’ onde gravou dois álbuns clássicos: ‘A Man and His Blues’ e ‘Hold That Plane’. A partir desta época seu estilo agressivo começou a chamar a atenção de músicos do rock, principalmente os ingleses. Eric Clapton disse em 2005 que Buddy Guy foi para ele o que Elvis Presley foi para muitos outros.

Em 1970 iniciou parceria com o gaitista Junior Wells e lançou o disco ‘Buddy and the Juniors’. Em 1972, gravou ‘Buddy Guy and Junior Wells Play the Blues’, disco produzido por Eric Clapton, considerado um dos seus melhores álbuns, com clássicos do blues e composições próprias. Em 1974 se associou a Bill Wyman, baixista dos Rolling Stones, que produziu o álbum ao vivo ‘Drinkin’ TNT ‘n’ Somkin’ Dynamite’. Na década de 80 a sua carreira declinou e só voltou a decolar a partir de 1989 quando abriu o clube ‘Buddy Guy Legends’, em Chicago, considerado o lugar preferido da maioria dos artistas de blues. Em 1990 tocou junto com Eric Clapton no ‘Royal Albert Hall’, em Londres, num show somente de guitarristas. Esta participação lhe proporcionou um contrato com a ‘Silvertone Records’, onde ele gravou diversos álbuns, o primeiro ‘Damn Right, I’ve got The Blues’, contava com a participação especial de Eric Clapton, Jeff Beck e Mark Knopfler e ganhou disco de ouro e também o Grammy. Dois anos depois gravou ‘Feels Like Rain’ e ‘Slippin’ in’, ganhando o Grammy com os dois discos. O sucesso havia retornado com força. Enquanto a música de Buddy Guy é freqüentemente associada ao blues de Chicago, seu estilo é único e inconfundível. Sua música pode variar desde o mais tradicional e profundo blues, à mais criativa mistura de blues, rock moderno e jazz que se juntam de maneira inédita. Buddy Guy adora extremos, mudanças repentinas entre sons pesados e leves e sua concentração e dedicação são hiponotizantes. Algumas das novidades apresentadas por Buddy durante suas primeiras apresentações ao vivo foram capturadas pelos álbuns do ‘American Folk Blues Festival’. Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page admiravam o lado mais radical de suas músicas, no início dos anos 60. Sua música foi regravada por ‘Led Zeppelin’, Eric Clapton, ‘Rolling Stones’, Stevie Ray Vaughan e John Mayall, entre outros. Leia +...

arthur gunterArthur Gunter (1926 - 1976) foi guitarrista e cantor e era mais conhecido por sua canção ‘Baby Let's Play House’, que mais tarde foi um grande sucesso com Elvis Presley. Gunter nasceu em Nashville, Tennessee, e ainda criança fazia parte com seus irmãos e primos do grupo gospel ‘Gunter Brothers Quartet’. No início de 1950 ele tocou em vários grupos de blues ao redor de Nashville, e gravou ‘Baby Let's Play House’ que se tornou um hit local. Tornou-se nacionalmente conhecido quando Elvis Presley gravou uma versão para a ‘Sun Records’. ’Elvis a tornou famosa, mas eu não tive a chance de apertar sua mão’, Gunter diria mais tarde. Seu cheque de royalties foi de US $ 6500. Em 1966 mudou-se para Michigan tocando ocasionalmente. Arthur Gunter morreu de pneumonia em 1976.



slim gaillardSlim Gaillard (1916 - 1991) foi cantor, compositor, pianista e guitarrista, conhecido por seu jogo de palavras em uma linguagem que chamou de ‘vout’. Além de falar outras oito línguas, Gaillard escreveu um dicionário para a sua própria linguagem inventada. Há controvérsias sobre sua linhagem familiar e local de nascimento. Uns afirmam que nasceu em Santa Clara, Cuba, de um pai grego e mãe afro-cubana; outros dizem que ele nasceu em Pensacola, Flórida, de pai alemão e mãe afro-americana. O certo é que Bulee ‘Slim’ Gaillard cresceu em Detroit e mudou-se para Nova York na década de 30. De acordo com os obituários dos principais jornais, a infância de Gaillard em Cuba foi cortando cana e colhendo bananas, e ocasionalmente, ir para o mar com seu pai que trabalhava como comissário de bordo em um navio de cruzeiro. Com 12 anos, ele acompanhou seu pai em uma viagem pelo mundo e foi acidentalmente deixado para trás na ilha de Creta. Depois de trabalhar na ilha por um tempo voltou para Detroit onde trabalhou em um matadouro, foi treinado como agente funerário, boxeador e empregado na Ford Motor. Gaillard teve destaque no final de 1930, com o grupo de jazz ‘Slim & Slam’ que formou com o baixista Slam Stewart e fizeram sucesso considerável com ‘Flat Foot Floogie’ que foi rapidamente gravada por nomes como Benny Goodman e Fats Waller. A parceria foi interrompida com a Segunda Guerra Mundial. O estilo de Gaillard era semelhante ao de Cab Calloway e Louis Jordan, mas ao contrário deles era um mestre da improvisação que misturava sílabas sem sentido nas letras originais. No final dos anos 40 e início dos anos 50, Gaillard tocava frequentemente com os saxofonistas Charlie Parker, Flip Phillips e Coleman Hawkins. Sua sessão de 1945, com Parker e Dizzy Gillespie é notável, tanto musicalmente quanto pelo descontraído convívio. Gaillard tocava vários instrumentos, e sempre conseguiu transformar o desempenho em comédia. Apareceu em vários shows na década de 60 e 70, e também em séries de TV. No início dos anos 80 ele estava em turnê no circuito de festivais europeus de jazz. Um dos vocalistas mais excêntricos Slim Gaillard se tornou um cult graças a sua lendária figura e apresentações cômicas, e várias de suas composições tornaram-se verdadeira hits como ‘Flat Foot Floogie’ e ‘Cement Mixer’. Versátil, Gaillard era eficaz no que fazia, hábil como cantor, guitarrista no estilo de Charlie Christian e pianista boogie-woogie. Faleceu após lutar contra o câncer.


Tracklist
01. Buddy Guy - Try to Quit You, Baby
02. Buddy Guy - You Sure Can't Do
03. Buddy Guy - This Is the End
04. Buddy Guy - Sit and Cry (The Blues)
05. Arthur Gunter - Baby Let's Play House
06. Arthur Gunter - No Naggin', No Draggin'
07. Arthur Gunter - Honey Babe
08. Arthur Gunter - Little Blues Jeans Woman
09. Arthur Gunter - Baby You Better Listen
10. Arthur Gunter - I Want Her Back
11. Arthur Gunter - Crazy Me
12. Arthur Gunter - Ludella
13. Arthur Gunter - Blues After Hours
14. Slim Gaillard - Walkin' & Cookin' Blues
15. Slim Gaillard - Blue Heaven
16. Slim Gaillard - Thunderbird
17. Slim Gaillard - Chicken Rhythm
18. Slim Gaillard - I Love You
19. Slim Gaillard - I Don't Stand a Ghost...
20. Slim Gaillard - Don't Blame Me



ABC of the blues volume 12

parte I    parte II



the ultimate jazz archive: swing to bebop 27

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists


james moody

James Moody (1925 - 2010) considerado um dos pais do bebop foi saxofonista e flautista e era mais conhecido por seu hit ‘Moody's Mood for Love’. Nascido em Savannah, Georgia, cresceu em New Jersey, onde foi atraído pelo saxofone depois de ouvir George Holmes Tate, Don Byas e vários outros saxofonistas que tocavam com Count Basie. Mais tarde aprendeu a tocar flauta. Juntou-se ao ‘US Army Air Corps’, precursor da Força Aérea dos Estados Unidos, em 1943 e tocou na ‘banda de negros’ no batalhão de segregados. Após sua dispensa do serviço militar em 1946 ele tocou bebop com Dizzy Gillespie durante dois anos. Depois voltou a tocar com Gillespie em 1964, onde seus colegas no grupo eram o pianista Kenny Barron e o guitarrista Les Spann, que seriam colaboradores musicais nas próximas décadas. Em 1948, James Moody gravou sua primeira sessão para a ‘Blue Note Records’. No mesmo ano foi para a Europa, onde permaneceu por três anos, dizendo que tinha sido marcado pelo racismo nos EUA. Seu trabalho na Europa inclui a primeira gravação de ‘Moody's Mood for Love’, que se tornou um hit em 1952, e ajudou a estabelecê-lo como artista e como parte do crescimento do jazz europeu. Retornou aos EUA e na década de 60 voltou a tocar com Dizzy Gillespie. Em uma entrevista de 1998, Moody afirmou acreditar que o jazz tem definição espiritual. Em 2010, foi anunciado que estava com câncer no pâncreas, e tinha optado por não fazer tratamento agressivo. Moody morreu no mesmo ano de complicações decorrentes da doença. Dois meses depois Moody ganhou o Prêmio Grammy póstumo de melhor álbum de jazz instrumental com o álbum ‘Moody 4B’.




stan getz

Stan Getz (1927-1991), estilista impecável e improvisador inspirado, possuía um timbre puro e uma fluidez inigualável no fraseado e é colocado entre os cinco saxtenoristas verdadeiramente revolucionários da história do jazz, os outros são Coleman Hawkins, Lester Young, Sonny Rollins e John Coltrane. Nos anos 50, Getz foi o tenorista máximo, e é um dos artífices do cool jazz. Posteriormente outros nomes vieram a assumir este status, mas Getz nunca deixou de ser grandemente respeitado pelos colegas, pelos críticos e pelo público. Tanto que seu apelido era ‘The Sound’. Stan Getz começou a trabalhar em 1947 na orquestra de Tommy de Carlo, e na companhia de outros três saxtenores, Zoot Sims, Jimmy Giuffre e Herbie Steward, que possuíam abordagem e sonoridade semelhantes. Embora raro, o conjunto de quatro solistas para o mesmo instrumento deu certo. O entrosamento era perfeito e os quatro foram apelidados de ‘The Four Brothers’. Woody Herman, sempre perspicaz na caça aos bons valores, contratou Stan Getz, Zoot Sims e Herbie Steward para sua orquestra; com o saxbarítono Serge Chaloff como o quarto ‘irmão’. Quando deixou a orquestra de Herman, em 1949, Getz já possuía renome e passou a tocar como líder em pequenos conjuntos. Nas décadas seguintes, Getz fez inúmeras turnês pela Europa, especialmente na Escandinávia, onde morou por alguns anos. Tocou junto com Chet Baker e Gerry Mulligan, como ele, expoentes do cool jazz. Mas, Getz não era apenas um músico cool. Assim como acontecia com Gerry Mulligan, e até em maior grau, ele foi influenciado pelo bebop, tocou inclusive com Dizzy Gillespie. E é ainda considerado, por muitos críticos, discípulo de Lester Young, no que se refere ao som e à articulação. Stan Getz teve uma relação sólida com a bossa nova: seu disco com João Gilberto foi um grande sucesso comercial nos anos 60 e se tornou cult. Ao longo de décadas a presença da música brasileira foi presença constante em seu repertório. Suas improvisações são de tirar o fôlego, seja pelo virtuosismo, seja pelas idéias surpreendentes.




dave brubeck

Dave Brubeck (1920), oriundo de uma família musical começou a aprender piano aos quatro anos de idade e violoncelo aos nove. Em 1951 criou seu quarteto, que nos primeiros anos experimentou algumas mudanças de bateristas e contrabaixistas. O saxofonista Paul Desmond, porém, esteve presente desde o início. Com a entrada do baterista Joe Morello em 1956 e do contrabaixista Gene Wright em 1958, o quarteto entrou num período de estabilidade, durante o qual gravaria inúmeros discos e faria freqüentes turnês patrocinadas pelo Departamento de Estado norte-americano. A gravação de ‘Take Five’, tema de Desmond, em 1959, transformou o quarteto em campeão de vendagens da época. Com o passar dos anos, entre Brubeck e Desmond viria a se desenvolver um entrosamento quase telepático. Brubeck tinha admiração por Duke Ellington e pela música erudita. Desenvolveu um estilo muito peculiar, que viria se tornar cult. Percussivo, fazendo uso farto de acordes repetidos, Brubeck certamente não era um virtuose e foi até mesmo acusado, por certos críticos da época, de não possuir swing e de não ser um melodista. Porém, sua predileção por compassos em números primos - 5/4, 7/4, 11/4 - e suas ousadias harmônicas e mudanças de andamento fazem dele um pianista inovador e coerente. Além disso, era um compositor verdadeiramente inspirado. Sua música conseguiu alcançar sucesso junto ao público, mesmo aquele não iniciado no jazz. E Dave Brubeck é responsável por uma das experiências mais bem sucedidas da ‘Third Stream’, a integração de elementos do jazz e da música erudita, no mesmo patamar de Stan Kenton, do ‘Modern Jazz Quartet’ e do pianista Bill Evans. Leia +...




the modern jazz quartet

‘The Modern Jazz Quartet’ foi formado em 1952, por Milt Jackson no vibrafone, John Lewis no piano e como diretor musical, Percy Heath no contrabaixo e o baterista Kenny Clarke. Em 1955 Connie Kay substituiu Kenny Clarke. Ao longo da sua carreira, o ‘Modern Jazz Quartet’ passou por diversos estilos de jazz, entre as quais o bebop, o cool jazz e o third stream, termo criado pelo compositor Gunther Schuller, em 1957, para descrever um gênero musical que junta a música clássica ao jazz. A origem do grupo data dos anos 40, quando Milt Jackson, Lewis e Clarke tocavam juntos na orquestra de Dizzy Gillespie. Em 1951, formaram o ‘Milt Jackson Quartet’. Inicialmente, tanto Jackson como Lewis partilhavam do papel de diretor musical, mas com o tempo, Lewis assumiu essa responsabilidade. No início da carreira, o grupo passou por vários estilos, desde os mais clássicos, passando pelo bebop e pelo swing. Destacam-se as suas composições originais como ‘Django’, composto por Lewis em homenagem a Django Reinhardt e ‘Afternoon In Paris e Bags' Groove’, por Jackson. A sua primeira gravadora foi ‘Prestige Records’. Nos anos 50, juntaram-se à ‘Atlantic Records’ e no final dos anos 60, com a ‘Apple Records’, famosa por ser a editora dos ‘The Beatles’, e tornaram-se o único grupo de jazz desta gravadora. Com ela lançaram dois álbuns: ‘Under the Jasmine Tree’, em 1967 e ‘Space’, em 1969’. Em 1974, Milt Jackson deixou o grupo, por razões financeiras, considerando que tocavam por pouco dinheiro, e também por necessitar de mais liberdade musical. A sua saída levou ao fim do grupo. Em 1981, juntaram-se novamente para tocar em festivais e, mais tarde, tocavam regularmente durante um período de seis meses por ano. O seu último trabalho foi em 1993.




swing to bebop, modern jazz 27


27- 1: James Moody (1951-1955)
parte I    parte II

Tracklist
01. Bootsie 02. Lover, Come Back To Me 03. That's My Desire 04. Aimer Comme Je T'aime 05. Les Feuilles Mortes 06. I'm Gone 07. A Hundred Years From Today 08. Keepin' Up With Jonesy 09. Workshop 10. That Man O' Mine 11. Over The Rainbow 12. Jack Raggs 13. Mambo With Moody 14. It Might As Well Be Spring (Take 1) 15. It Might As Well Be Spring (Take 2) 16. Blues In The Closet 17. Moody's Mood For Blues 18. Nobody Knows The Trouble I've Seen 19. I Got The Blues 20. Blue Walk 21. Faster James

27-2: Stan Getz (1950-1952)
parte I    parte II

Tracklist
01. On the Alamo 02. Yesterdays 03. You go to my head 04. Hershey bar 05. Out of nowhere 06. It's wonderful 07. Strike up the band 08. Imagination 09. It might as well be spring 10. Penny 11. The best thing for you 12. Melody express 13. Wildwood 14. Yvette 15. Potterґs luck 16. The song is you 17. Where or when 18. Tabu 19. Moonlight is Vermont 20. Jaguar 21. Stars fell on Alabama 22. Sometimes Iґm happy

27-3: Dave Brubeck (1949-1953)
parte I    parte II

Tracklist
01. Back Home Again In Indiana 02. Body And Soul 03. Undecided 04. Perdido 05. Stardust 06. The Way You Look Tonight 07. These Foolish Things 08. All The Things You Are 09. For All We Know 10. I'll Never Smile Again 11. Lullaby In Rhythm

27-4: The Modern Jazz Quartet (1951-1955)
parte I    parte II

Tracklist
01. Milt Meets Sid 02. D & E 03. Yesterdays 04. Between The Devil And The Deep Blue Sea 05. Autumn Breeze 06. Moving Nicely 07. Bluesology 08. Round About Midnight 09. Love Me Pretty Baby 10. Heart And Soul 11. True Blues 12. Ralph's New Blues 13. All Of You 14. I'll Remember April 15. Gershwin Medley



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...