ABC of the blues 33: fred mcdowell & john hurt

posts relacionados
ABC of the blues

mississippi fred mcdowellFred McDowell (1904-1972) nasceu em Rossville, Tennessee, perto de Memphis, e ainda jovem ficou orfão. Com 14 anos tocava em bailes e piqueniques, mas a música não era a sua verdadeira fonte de renda, ele era um trabalhador rural. A vida de um músico em Memphis era menos exigente fisicamente do que a vida de um agricultor e como muitos outros jovens no início do século 20, McDowell pegou a estrada para a cidade e começou a sua carreira como músico em 1926. McDowell tocava a guitarra principalmente com slide. Inicialmente usava uma faca de bolso, mas mudou para um osso de costela bovina. Finalmente, usou o vidro na forma como muitos músicos de blues usavam, feitos normalmente de frascos de medicamentos que na época eram longos e finos. Influenciado por bluesmen como Charley Patton e Son House, desenvolveu seu próprio estilo distinto que era mais pesado em elementos de percussão e ritmos africanos do que o blues tradicional do Delta. Durante a Segunda Guerra Mundial, Fred McDowell deixou a profissão de músico e voltou para o trabalho agrícola.

‘Mississippi’ Fred McDowell era um artista de blues único e viveu em relativa obscuridade até ser descoberto por Alan Lomax, folclorista e etnomusicólogo, um dos grandes coletores de música popular do século 20. Alan Lomax convenceu o relutante bluesman a gravar em estúdio em 1959 para a série ‘American Folk Music’ da 'Atlantic Records' o que levou Fred McDowell a ser uma parte da chamada re-descoberta de artistas do blues. Foi realmente um desenterrar de artistas existentes por uma nova base de fãs. Lomax tinha encontrado um autêntico bluesman do Delta, que nunca havia sido gravado antes e é sua a seguinte citação: ‘Fred se surpreendeu quando eu lhe disse que admirava a sua música o suficiente para visitá-lo por várias noites e gravar tudo o que sabia. E ele ficava me dizendo que não poderia tocar tão bem como os outros que ele conhecia. Em minha opinião ele é simplesmente um homem modesto, porque nele a grande tradição do blues corre pura e profunda'. Por outro lado, Chris Strachwitz, fundador da ‘Arhoolie Records’ que era uma daquelas pessoas apaixonadas pela música de McDowell, prontamente procurou McDowell no Mississipi e gravou e lançou dois excelentes álbuns de McDowell nos anos 60 que contribuíram para lançar Fred no circuito de festivais ao longo da década, até sua morte de câncer aos 68 anos de idade.

mississippi fred mcdowell    mississippi fred mcdowell

‘Mississippi’ Fred McDowell tocou sua guitarra por vários anos, manteve-se em suas raízes acústicas até 1969, quando finalmente se rendeu à guitarra elétrica, mas mateve o mantra: eu não toco rock’n’roll, eu não toco rock’n’roll, eu não toco rock’n’roll... Mais tarde Fred McDowell teve o reconhecimento e respeito que não teve mais cedo em sua vida e foi homenageado, exatamente, pelos grandes do rock’n’roll. Os Rolling Stones imortalizaram o bluesman em ‘You Gotta Move’. E deveria ter sido honrado profundamente por outras bandas, nomeadamente ‘Led Zepplin’, que se apossou de canções de vários músicos mais velhos do blues sem abrir mão de um centavo dos royalties. Fred McDowell antecipou a música de Elmore James e modelou um estilo muito imitado. E sua música teve um forte impacto sobre os músicos de folk e jovens roqueiros durante o final dos anos 60, assim como nos anos 70. Antes de sua morte, McDowell deu lições a cantora Bonnie Raitt na guitarra slide, e por sua vez Raitt gravou várias músicas de McDowell ao longo dos anos.

Mississippi John HurtJohn Smith Hurt (1893-1966), mais conhecido como Mississippi John Hurt foi também um influente cantor e guitarrista de blues country. Criado na minúscula Avalon, Mississippi, Hurt aprendeu sozinho a tocar guitarra com nove anos de idade observando o namorado de sua mãe tocar. E passou grande parte da adolescência se apresentando em festas locais. Mississippi John Hurt não aspirava uma carreira na música, viveu a maior parte de sua vida como trabalhador rural. As gravações que fez em 1928 para o selo Okeh, originais e adaptações de canções tradicionais como ‘Frankie’, ‘Stack O' Lee’ e ‘Avalon Blues’, permanecem como clássicos do blues apesar do fracasso comercial na época, o que contribuiu para John Hurt sair da cena musical e continuar com o seu trabalho de meeiro. Depois que foi descoberta uma cópia de uma de suas gravações de ‘Avalon Blues’, o interesse por seu paradeiro cresceu. ‘Frankie’ e ‘Spike Driver Blues’ foram incluídas na ‘The Anthology of American Folk Music’ em 1952. Tom Hoskins, um entusiasta do blues, seria o primeiro a localizar John Hurt em 1963 e o convenceu a se mudar para Washington, DC, onde foi gravado pela Biblioteca do Congresso em 1964.

Mississippi John Hurt & Elmore James    Mississippi John Hurt & Elmore James

Kae Karson, Joe Hickerson e John Hurt nas gravações para a Biblioteca do Congresso dos EUA (1964)
Mississippi John Hurt & Elmore James

Esta redescoberta ajudou ainda mais o revival da música folk norte-americana, o que levou outros bluesmen da época a se apresentarem nos circuitos dos festivais das universidades. Antes de sua morte, de um ataque cardíaco, Mississippi John Hurt se apresentou extensivamente em escolas, salas de concerto, casas de café e também no 'Tonight Show', um talk show de fim de noite na NBC. Influenciado por muito poucas pessoas, apenas se lembra de um cantor idoso de blues, Rufus Hanks, que tocava um violão de doze cordas e gaita, Mississippi John Hurt desenvolveu o seu próprio estilo, que era sincopado e convidava para a dança. John Smith Hurt, cuja natureza mansa refletiu na sua música que consistia em uma mistura suave de country e blues influenciou vários gêneros musicais, incluindo o bluegrass, folk e o contemporâneo rock’n’roll.


Tracklist
01. Mississippi Fred McDowell - I'm Going Down to the River
02. Mississippi Fred McDowell - When the Train Comes Along
03. Mississippi Fred McDowell - Shake 'em On Down
04. Mississippi Fred McDowell - Worried Mind
05. Mississippi Fred McDowell - Keep Your Lamp Trimmed
06. Mississippi Fred McDowell - What's the Matter Now?
07. Mississippi Fred McDowell - Good Morning Little Schoolgirl
08. Mississippi Fred McDowell - You Done Told Everybody
09. Mississippi Fred McDowell - Wished I Was in Heaven Sitting
10. Mississippi Fred McDowell - 61 Highway
11. Mississippi John Hurt - Candy Man Blues
12. Mississippi John Hurt - Blessed Be the Name
13. Mississippi John Hurt - Nobody's Dirty Business
14. Mississippi John Hurt - Louis Collins
15. Mississippi John Hurt - Praying on the Old Camp Ground
16. Mississippi John Hurt - Spike Driver Blues
17. Mississippi John Hurt - Avalon Blues
18. Mississippi John Hurt - Ain't No Telling
19. Mississippi John Hurt - Blue Harvest Blues
20. Mississippi John Hurt - Got the Blues



ABC of the blues volume 33

parte I    parte II



4 comentários:

Khalit Sabanur disse...

Menina, menina!

Voce ainda vai causar um infarto nesse velho coração apaixonado pelo Blues rsrsrs

Beijos, lindo final de semana p'rá voce.

Edison Junior disse...

Oi, Mara, não conheço, vou conferir.

mara* disse...

Coração de bluseiro é forte. Bom final de semana Khalit. Beijos.

mara* disse...

Divirta-se Junior. Bom final de semana. Beijão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...