bix beiderbecke

bix beiderbeckeBix Beiderbecke, cornetista, pianista e compositor, desenvolveu na década de 20 um estilo independente com influência de Louis Armstrong. Ele era conhecido por seu tom de voz suave, e seu timbre único ao dedilhar a corneta deu a sua obra um caráter introspectivo e ganhou reputação e influenciou outros músicos brancos de jazz. Seus solos mais famosos estão nas gravações ‘Singin′ the Blues’ e ‘I'm coming Virginia’ com a orquestra do saxofonista Frankie Trumbauer. Um dos muitos mitos ditos sobre Bix Beiderbecke é que ele jogou fora a sua carreira na companhia de músicos que não entendiam as suas avançadas idéias musicais. Frankie ‘Tram’ Trumbauer, entendeu o que Bix estava tentando fazer. Também influenciado pelo compositor clássico Claude Debussy, são poucos os exemplares sobreviventes de Bix Beiderbecke como pianista, a notável ‘In a Mist’ de 1927, é uma delas, assim como ‘In The Dark’ e ‘Candlelights’, posteriormente gravadas por grandes pianistas.

Bix Beiderbecke foi um dos maiores músicos de jazz da década de 20, sua ascensão e queda, e eventual status como mártir, fez dele uma lenda, mesmo antes de morrer. E ficou como prova de que nem todos os inovadores da história do jazz eram negros. Possuidor de um estilo de improvisar notavelmente original, o seu único concorrente foi Louis Armstrong, mas devido aos seus diferentes sons e estilos é realmente difícil compará-los. Se Bix Beiderbecke tivesse vivido mais tempo ele teria se tornado um dos maiores compositores da América. Apesar de sua falta de treinamento formal, Beidebecke surgiu como o primeiro jazzmen a tentar unir os mundos do jazz e do expressionismo europeu. Com sua corneta e piano ele contribuiu para expandir a estrutura melódica e harmônica do jazz.

 frankie trumbauer orquestra 1925    frankie trumbauer
Frankie Trumbauer Orquestra (1924)

Leon Bismark ‘Bix’ Beiderbecke, o segundo filho de imigrantes alemães de classe média foi uma criança prodígio. Nasceu em 1903, em Davenport, Iowa, cidade situada ao longo do rio Mississippi em cujas margens, quando adolescente, ia para ouvir as bandas vindas do sul. Seu pai era proprietário de uma madeireira e carvoaria e sua mãe, pianista. Dotado de um ouvido musical preciso, aos três anos de idade, começou a tocar melodias simples. Tocava de ouvido e aulas particulares semanais fizeram pouco para incutir a disciplina da leitura ao jovem talentoso, o que frustrava seu instrutor. Após a Primeira Guerra Mundial, seu irmão mais velho Charles trouxe vários 78 rpm gravados pela ‘Original Dixieland Jazz Band’ e Bix foi atraído pelo som do trompetista da banda, Nick LaRocca, e com uma corneta de um amigo aprendeu nota por nota. Mantendo esse seu estudo em segredo, ele continuou a tocar piano, e começou um pequeno grupo que tocava em bailes no ginásio da escola. Desiludido sobre o interesse de seu filho em uma forma de arte nada ‘respeitosa’ e com as baixas notas do ensino médio, Bismark e Agatha enviaram Bix para uma escola rigorosa localizada ao norte de Chicago onde ganhou reputação como pianista versátil na orquestra da escola.

bix beiderbecke 3 - The Wolverine Orchestra 1925
The Wolverine Orchestra (1924)

Em 1921, Bix Beiderbecke juntou forças com o saxofonista Samuel ‘Sid’ Stewart, e com o baterista Walter Ernest ‘Cy’ Welge, na formação da ‘Cy-Bix Orchestra’. Em 1922, partiu para New York para ouvir a ‘Original Dixieland Jazz Band’ e o seu mentor, o trompetista Nick LaRocca, que finalmente permitiu que Bix subisse ao palco com o grupo. Na primeira semana em New York viveu o caos de pegar táxis e trens para audições que nunca se materializaram. Sem emprego musical, Beiderbecke voltou para Davenport, onde seu pai exigiu que ele trabalhasse nos negócios da família. Cansado do seu trabalho, mais uma vez partiu para Chicago onde conseguiu trabalhar com a banda do saxofonista tenor Dale Skinner. Mas os membros da banda ficaram impressionados com a estranheza de estilo que acharam ‘indigesto’.

Jean Goldkette Orquestra    
Jean Goldkette Orquestra

De volta a Davenport, em 1923, recebeu uma oferta para se juntar a uma banda no Club Stockton, em Ohio. O limitado repertório incluía a música ‘Wolverine Blues’ de Jelly Roll Morton, que deu origem ao nome da banda, ‘The Wolverine Orchestra’ que teve impacto na cena musical. A crescente reputação da banda a levou a uma sessão de gravação no rótulo ‘Gennett’ lançando duas músicas da ‘Original Dixieland Jazz Band’, ‘Jazz Me Blues’ e ‘Fidgety Feet’. Em oposição à aceitação crítica de suas gravações, a banda não conseguiu atrair um grande número de seguidores. Em 1924, voltaram ao estúdio para a sua segunda gravação. No mesmo ano entrou para uma das mais talentosas e elegantes orquestras, a de Jean Goldkette, sendo descartado pelo engenheiro de som Eddie T. King que desdenhava o seu estilo.

Rhythm Jugglers 1924

Em uma sessão de gravação na ‘Gennett Records’ com a sua banda ‘Rhythm Jugglers’ dissolvida em 1925 e formada por Howdy Quicksell (banjo), Tom Gargano (bateria), Paul Mertz (piano), Don Murray (clarinete), Bix Beiderbecke (corneta) e Tommy Dorsey (trombone)

Em 1925, conduziu a sua própria banda, a ‘Rhythm Jugglers’, com Tommy Dorsey, Don Murray, e Paul Mertz, membros da orquestra de Jean Goldkette que foi dissolvida. Suas gravações inovadoras e influentes com as orquestras de Frankie Trumbauer e de Jean Goldkette o tornaram um músico procurado em Chicago e Nova York. Em 1927, Bix e Trumbauer, entraram para a banda de Adrian Rollini no New Club Yorker, New York. Beiderbecke, em seguida, mudou-se para a orquestra do bandleader Paul Whiteman, a banda mais popular e mais bem paga. Com Whiteman, os solos de Beiderbecke eram breves momentos de magia, por vezes, estranhos, ‘Sweet Sue’ é um exemplo perfeito. Para os seus seguidores cada nota que ele tocava era especial.

Beiderbecke teve problemas de saúde desde tenra idade e declinou ainda mais em sua vida adulta. Ele viajava incansavelmente, e consumia bebidas em excesso, muitas das quais de baixa qualidade devido a Lei Seca, como o gim produzido em banheiras com álcool importado ilegalmente. Como resultado, suas apresentações tornaram-se sofríveis e o seu estado de confusão mental era frequente. Paul Whiteman ficou tão frustrado com o seu comportamento que escreveu em uma partitura a nota ‘Wake up, Bix’. Em 1929, Paul o enviou de volta para a casa dos pais para se recuperar de um colapso causado pelo alcoolismo e problemas relacionados com o stress da turnê. Seu tratamento foi bem-sucedido, mas já era tarde. Bix tornou-se uma figura cada vez mais triste, e ao longo dos dois anos seguintes, quando ele estava bem o suficiente para viajar, a sua maneira de tocar nem sempre era a mesma. No final de 1931, fixou residência em New York, e foi lá que Bix Beiderbecke morreu sozinho com apenas 28 anos de idade. Um homem sensível e solitário, inquieto ele mudava de emprego constantemente. Impulsionado pela ambição artística, quando foi forçado a tocar em gravações comerciais tornou-se infeliz e bebia muito até que finalmente morreu.

paul whiteman orquestra 1929    paul whiteman
Paul Whiteman Orquestra (1929)

Embora a causa oficial da morte tenha sido pneumonia e edema cerebral, Beiderbecke morreu durante um estado extremo de embriaguez, o delirium tremens, uma condição potencialmente fatal, principalmente em pacientes debilitados como era o seu caso. O vício, frequentemente, o impedia de se apresentar e a sua morte precoce contribuíram para torná-lo uma das lendas românticas do início do jazz. Embora ele tenha morrido na obscuridade, Bix Beiderbecke tem sido aclamado como um dos primeiros importantes músicos brancos do jazz. Sendo retratado em livros e filmes como um modelo irresponsável da juventude dos loucos anos 20, os estudiosos passaram décadas a dissipar este mito em torno de Beiderbecke. Para o seu amigo e mentor Louis Armstrong, o seu coração estava nele o tempo todo quando tocava. Como artista autodidata, Bix Beiderbecke conseguiu, através do dom da afinação perfeita e inventiva e com sagacidade fundir elementos do mundo do jazz com as modernas idéias européias, uma visão criativa que antecederam o movimento do jazz moderno por duas décadas.

bix beiderbecke - singin' the blues


Em 2006 a ‘Primo Records’ lançou a coleção de 40 faixas intitulada ‘The Art of Bix Beiderbecke’ que cobre o período de tempo que se estende desde 20 de junho de 1924 a 21 de maio de 1930, sobre o trabalho precoce de Bix com a ‘The Wolverine Orchestra’ e ‘The Sioux City Six’; revisita suas colaborações com o saxofonista Frankie Trumbauer e como líder da ‘Bix and his Rhythm Jugglers’. Também está incluído as participações de Bix como membro da orquestra de Paul Whiteman em dois títulos: ‘Rockin' Chair’ e ‘Barnacle Bill the Sailor’ que acabou sendo a última sessão de Bix que já bastante doente e sentado em uma cadeira tocou a sua corneta ao lado do trompetista Bubber Miley, outro brilhante músico cuja vida e carreira foram devastadas pelo alcoolismo. Este grupo, liderado pelo vocalista Hoagy Carmichael também incluia o trombonista Tommy Dorsey, o clarinetista Benny Goodman, o saxofonista tenor Bud Freeman, o violinista Joe Venuti, o guitarrista Eddie Lang, o baterista Gene Krupa e em ‘Barnacle Bill the Sailor’ pelo rude cantor de country Carson Robison. ‘The Art of Bix Beiderbecke’ é um mistura vertiginosa de gravações de jazz clássico ao longo de um período de seis anos, uma excelente forma de ouvir os destaques do legado de Bix Beiderbecke.

the art of bix beiderbecke (2007)

The Art of Bix Beiderbecke (1924-1930)
CD 1
CD 2
parte I    parte II

Tracklist: CD 1
01. Singin' the Blues 02. Trumbology 03. Clarinet Marmalade 04. Riverboat Shuffle 05. I'm Coming Virginia 06. Way Down Yonder in New Orleans 07. Fidgety Feet 08. Jazz Me Blues 09. Copenhagen 10. Sensation 11. I'm Glad 12. Toddlin' Blues 13. Davenport Blues 14. In a Mist 15. For No Reason at All in C 16. Wringin' and Twistin' 17. Three Blind Mice 18. Humpty Dumpty 19. Krazy Kat 20. Baltimore

Tracklist: CD 2
01. At the Jazz Band Ball 02. Royal Garden Blues 03. Jazz Me Blues 04. Goose Pimples 05. Sorry 06. Clementine (From New Orleans) 07. Changes 08. There Ain't No Sweet Man That's Worth the Salf of My Tears 09. Lonely Melody 10. You Took Advantage of Me 11. Rockin' Chair 12. Barnacle Bill the Sailor 13. Mississippi Mud 14. Japanese Sandman 15. Cryin' All Day 16. Good Man Is Hard to Find 17. Since My Best Gal Turned Me Down 18. Somebody Stole My Gal 19. Rhythm King 20. Ol' Man River

bix beiderbecke - anthology (1993)

Anthology (1993)
CD 1    CD 2    CD 3

Tracklist: CD 1
01. Fidgety Feet 02. Jazz Me Blues 03. Copenhagen 04. Riverboat Shuffle 05. Royal Garden Blues 06. Tiger Rag 07. Sensation 08. Tia Juana 09. I Didn't Know 10. Idolizing 11. Sunday 12. Hoosier Sweetheart 13. My Pretty Girl 14. Sunny Disposish 15. Blue River 16. Clementine 17. In A Mist 18. At The Jazz Band Ball 19. Ol' Man River 20. Rhythm King

Tracklist: CD 2
01. Clarinet Marmalade 02. Singin' The Blues 03. Ostrich Walk 04. Riverboat Shuffle 05. I'm Coming Virginia 06. Way Down Yonder In New Orleans 07. Three Blind Mice 08. Krazy Kat 09. Bless You Sister 10. Baby Won't You Please Come Home 11. Washboard Blues 12. Lonely Melody 13. Dardanella 14. My Melancholy Baby 15. Tain't So Baby, 'Tain't So 16. Gipsy 17. Sweet Sue 18. China Boy 19. Oh, Miss Hannah 20. From Monday On

Tracklist: CD 3
01. Oh Baby 02. Susie (Of The Islands) 03. I Need Some Pettin' 04. Lazy Daddy 05. Big Boy 06. Just One More Kiss 07. Proud Of A Baby Like You 08. I'm Looking Over A Four Leaf Clover 09. I'm Gonna Meet My Sweetie Now 10. Slow River 11. Goose Pimples 12. Sorry 13. Thou Swell 14. Louisiana 15. Humpty Dumpty 16. The Baltimore 17. Crying All Day 18. There'll Come A Time 19. Mississippi Mud 20. Borneo

3 comentários:

Edison Junior disse...

Por coincidência acabei de encomendar um CD de Bix - aguardando... Ótimos dados biográficos! Valeu!

mara* disse...

Valeu! Beijão...

BELcrei disse...

O seu blogue entrou no tubo direcional do Mamute.

Visitas da europa e EUA esão a caminho.

Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...