ABC of the blues 39: bessie smith

posts relacionados
ABC of the blues

bessie smithBessie Smith (1894-1937) considerada por muitos como a maior cantora de blues de todos os tempos, nasceu na pobreza. Órfã aos oito anos ficou sob os cuidados de sua irmã mais velha, Viola. Na mesma época, Bessie começou a cantar na rua acompanhada de um irmão. Em 1912 foi aceita, como dançarina, no grupo de Gertrude ‘Ma’ Rainey que a orientou a adotar o seu estilo de cantar blues rural. Smith e Rainey continuaram amigas ao longo da vida. Tornando-se cantora, Smith passou uma década viajando com grupos itinerantes afro-americanos que se apresentavam principalmente em shows para um público negro. Seu estilo agressivo de cantar logo atraiu à atenção e durante esse período ela se casou com Earl Love em 1920, que morreu dois anos depois. Bessie Smith fez várias tentativas frustradas de gravar antes de assinar contrato com a ‘Columbia Records’ em 1923. Seu primeiro disco, ‘Down-hearted Blues’, vendeu milhares de cópias em apenas seis meses. Nos anos seguintes tornou-se a cantora negra que mais vendia o que salvou a gravadora da falência. Pouco antes de sua carreira musical decolar, casou com Jack Gee, um vigia noturno. Um relacionamento violento que muitas vezes terminava em surras. Anunciada como a imperatriz do blues, Bessie começou a usar roupas extravagantes, enquanto cantava canções, algumas das quais ela mesma escreveu, sobre a solidão, o desespero e sexo.

Em 1928, ela foi contratada para aparecer no musical ‘Pansy’, da Broadway, que apesar de fundamental para ela, foi arrasado pelos críticos. A convite do compositor WC Handy, ela também foi destaque em um filme de 17 minutos em que atuou com a sua canção de maior sucesso, ‘St. Louis Blues’. Enquanto sua vida profissional continuava a prosperar, o casamento desmoronava. Ela se separou de Gee, em 1930, depois que descobriu que ele a tinha roubado para financiar um programa para a amante. Com o início da grande depressão, a carreira de Smith, também começou a vacilar. A crise econômica deixou a indústria fonográfica em ruínas, enquanto as apresentações ao vivo foram substituídas pelo rádio, e o blues foi perdendo muito de sua audiência. Bessie saiu da ‘Columbia Records’, e retornou aos grupos que cruzavam o país, embora ela tenha se apresentado também no ‘Cotton Club’ de Nova York e no Teatro Apollo. Em 1933, o entusiasta do jazz, John Hammond convidou Bessi para gravar algumas músicas novas, destinadas ao mercado europeu. Embora ela tentasse atualizar sua música através da experimentação do swing, as gravações fizeram pouco sucesso. No outono de 1937, após um show em Memphis, Tennessee, ela e seu amante Richard Morgan partiram no meio da noite e na estrada escura, Morgan bateu em um caminhão. Morgan saiu ileso, mas o corpo de Smith foi esmagado. Um médico branco parou e deu a Bessie Smith atendimento de emergência, enquanto se aguardava por uma ambulância. Levada ao hospital em poucas horas Bessie morreu de seus ferimentos.

Com a sua morte repentina, um mito cresceu em torno de suas circunstâncias. Diz-se que ela foi levada a um hospital para pacientes brancos e sua admissão foi negada por causa da cor de sua pele, e em seguida transportada para outro hospital, não resistindo ao tempo transcorrido sem atendimento. Ironicamente, a morte de Smith teve mais cobertura da mídia branca do que sua carreira teve. A história mítica de sua morte, também foi popularizada na peça ‘The Death of Bessie Smith’ de 1960, do escritor Edward Albee, e vencedora do prêmio Pulitzer. Embora a vida de Bessie Smith tivesse um fim abrupto e trágico, a sua música continuou a influenciar artistas tão diversos como Billie Holiday, Mahalia Jackson, Ella Fitzgerald e Janis Joplin. Em 1970, Joplin, como tributo financiou um túmulo para Bessie anteriormente enterrada em uma cova anônima em Sharon Hill, na Pensilvânia. Na lápide se lê: “A maior cantora de blues do mundo nunca vai parar de cantar’. A canção ‘Down hearted Blues’ foi incluída pela ‘National Recording Preservation Board’ no ‘Registro Nacional de Gravações’ da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos em 2002. Leia +...


Tracklist
01 Bessie Smith - Down Hearted Blues
02 Bessie Smith - Gulf Coast Blues
03 Bessie Smith - Oh Daddy Blues
04 Bessie Smith - Baby Won't You Please Come Home
05 Bessie Smith - Aggravation Papa
06 Bessie Smith - Beale Street Mama
07 Bessie Smith - Keeps On A-Rainin' (Papa, He Can't Make No Time)
08 Bessie Smith - Taint Nobody's Bizness If I Do
09 Bessie Smith - Mama's Got the Blues
10 Bessie Smith - Outside of That
11 Bessie Smith - Lady Luck Blues
12 Bessie Smith - Yodling Blues
13 Bessie Smith - Bleeding Hearted Blues
14 Bessie Smith - Midnight Blues
15 Bessie Smith - If You Don't, I Know Who Will
16 Bessie Smith - Nobody in Town Can Bake a Sweet Jelly Roll Like Mine
17 Bessie Smith - Jaul House Blues
18 Bessie Smith - Sam Jones Blues
19 Bessie Smith - Cemetery Blues
20 Bessie Smith - Graveyard Dream Blues



ABC of the blues volume 39

parte I    parte II



5 comentários:

Edison Junior disse...

Muito bom, ótima essa coleção, hein?

mara* disse...

Muito boa...realmente o ABC do blues...beijão.

betomelodia disse...

olá mara...

primeiro, agradeço à ti a criação deste excelente blog... segundo, parabenizo-te pelo ótimo conteúdo... uma luz na web para quem aprecia a música...

mara, tentei acessar o "topblog" para meu voto dar-te, mas tal como acontecia com meus amigos, que em meu blog tentavam votar, não me foi possível... uma demora infindável e links para mil bobagens me fizeram desistir, por hora... tentarei mais tarde pois teu blog merece ganhar, minha amiga...

mais uma vez, meus parabéns e...
beijos no coração...

Obs: morei em piracicaba por 18 anos e conheço muito os "arredores" de rio claro, uma bela cidade...

mara* disse...

Olá Beto! Há quanto tempo amigo!

Votei em seu blog sem o menor problema, foi instantâneo. Talvez em outro dia, outra hora, quando o tráfego virtual esteja mais ameno, terei o seu voto. Já agradeço antecipadamente.

Você já tinha me informado que residiu em Pira. Gosto de Rio Claro apesar da mediocridade musical. São Carlos é mais rica, já recebeu bandas de blues e jazz dos EUA, e nosso grandes instrumentistas. Por aqui só 'sertanojos'...argh...

Beijão amigo.

Borboletas de Jade disse...

"Voce não aprende a tocar blues. Voce simplesmente toca. Eu nem mesmo chego a pensar harmonia. A coisa flui naturalmente. Voce aprende onde deve colocar as notas para que elas soem direito. Voce não sai em busca de um acorde esquisito. Eu costumava modificar as coisas porque queria ouvi-las __progressão alternativas e macetes vanguardistas, Agora meu gosto melhorou..." Miles Davis, 1957

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...