jelly roll morton

jelly roll mortonQuando se ouve falar de jazz com raízes em Nova Orleans, os primeiros músicos a serem lembrados são Louis Armstrong e Jelly Roll Morton. Armstrong é considerado o primeiro grande solista e Morton o primeiro grande compositor. Além de compositor ele era pianista, arranjador, líder de banda e um inovador inteligente, que mudou o estilo ragtime para o início de uma nova forma. Apesar de importante e respeitado no período de transição para o jazz orquestral, Morton gostava de embelezar a verdade sobre si mesmo. Embora ele não tenha inventado o jazz como ele afirmava, Jelly Roll Morton foi um dos colaboradores mais importantes para a música norte-americana. Mas, devido a essa tendência para inventar fatos é incerta grande parte das informações sobre a sua vida.

New Orleans na virada do século XX efervescia e o ragtime era a música do período. Além do ragtime, o blues influenciou o estilo de Morton dando a ele a liberdade de improvisação e expressividade emocional. Ele também absorveu a ópera italiana e francesa. Jelly Roll Morton começou a sua carreira tocando piano nas salas espelhadas dos luxuosos bordéis dentro de uma área da cidade conhecida como Storyville, nome do vereador que obteve a aprovação da lei que criou o distrito da prostituição legalizada. E viajou por todo o país, e seu piano foi ouvido por todo o caminho entre Los Angeles e Nova York. Por algum tempo teve outras profissões, foi até cafetão, mas sempre voltava para a música. As chances eram boas pois Morton tinha poucos concorrentes. Descedente de crioulos, e como tal, ele fazia parte da alta sociedade de Nova Orleans. Os músicos crioulos da época se orgulhavam de sua formação européia e técnica refinada. Mas, foi nos bordéis, nesse agitado mundo do ‘viva e deixe viver’ que Jelly Roll Morton desenvolveu a sua música.

basin street storyville (1900)

Basin Street - Storyville (1900)

A Jelly Roll Morton foi creditado o conceito da improvisação individual dentro dos arranjos orquestrais, um formato que se tornou um marco no jazz. Ele foi capaz de manter o espírito alegre das bandas de jazz de Nova Orleans, continuando a evolução da música em direção a sofisticação do swing. Várias canções suas mais tarde tornaram-se grandes sucessos, tanto para Fletcher Henderson como para Benny Goodman, durante a era 'swing'. A música de Jelly Roll Morton prova que o jazz é moderno, sua música é tão forte agora como quando ele a criou. Sua música é atemporal e suas composições contam a história de New Orleans. Ele foi o primeiro teórico sobre jazz, e para o prodígio do trompete, Winton Marsalis, todas as suas teorias estavam corretas.

jelly roll morton & sophie tucker em storyvilleEle nasceu Ferdinand Joseph La Menthe (ou LaMothe), em 1885 ou 1890, e provavelmente em Gulfport, Louisiana, ou Gulfport, Mississippi. Seu pai era crioulo, termo relacionado com os primeiros colonos franceses do sul dos EUA, especialmente Louisiana, e era carpinteiro e também um trombonista clássico que tocou na ‘French Opera House’ em Nova Orleans. Mas La Menthe abandonou a família quando Morton era muito jovem. Morton viveu com a mãe na maior parte sob os cuidados de sua tia e madrinha, Eulalie, que o levava a todos os lugares, incluindo bares e até mesmo na prisão onde ele encontrou a sua primeira inspiração musical ouvindo o canto dos detentos. Seu primeiro instrumento musical, embora feito de uma bandeja de estanho e duas pernas de cadeira, soou para ele como uma sinfonia. Logo Morton aprendeu a tocar outros instrumentos mais tradicionais. Aos cinco anos tocava gaita e aos seis anos de idade ele dominava a ‘harpa do judeu’, um instrumento sem nenhuma ligação com o povo judeu. Morton foi guitarrista por sete anos. Estudou violão e foi logo tocando em bandas de rua. Em seguida, ele aprendeu o trombone, que tocou nos bordéis e depois piano, que ele aprendeu depois de ouvir um concerto.

Sua mãe morreu quando ele tinha 14 anos, mas sua tia era de longe a maior influência em sua vida. Ela o enviou para estudar por um tempo com um professor universitário negro. Sua tia também acreditava em vodu, e mantinha copos de água benta ao redor da casa e Morton acreditava ouvir vozes que ecoavam na noite como também correntes e uma máquina de costura em execução. Para sempre ele foi influenciado pelo vodu e sempre manteve a água benta perto de sua cama. Morton começou a ganhar dinheiro como pianista nos bordéis, mas como a sua família tinha grande respeito por ópera e qualquer outro tipo de música era considerada inadequada, quando sua tia descobriu de onde vinha o dinheiro para comprar roupas novas, Morton foi jogado fora de casa para não corromper suas irmãs.

Quando deixou a casa de sua tia em 1902, Morton também deixou Nova Orleans, para nunca mais voltar. Vagueou pelo país, Chicago, em 1904, Alabama, em 1905. Sabe-se que ele também foi para St. Louis e visitou Scott Joplin, compositor e pianista, e uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do ragtime clássico. Em 1911, chegou em Nova e depois de excursionar brevemente com um grupo de menestréis, foi para Los Angeles, onde viveu de 1917 a 1922. Nessa época ele já tinha estabelecida a reputação de grande músico, compositor, bandleader e arranjador. Ostensivo e arrogante, algumas vezes ele mostrava aos amigos malas cheias de dinheiro e seu dente cravejado de diamante era bem conhecido. Não havia como negar a sua personalidade distinta, numa época em que todos os músicos usavam smoking, Morton preferia calças e sapatos brancos e casaco vinho, e diamantes em sua gravata e meias. Mas ele era um compositor dedicado, muitas vezes acordando à noite para rabiscar idéias e, posteriormente, exigindo que os músicos da banda seguissem suas composições nota a nota.

jelly roll morton - red hot peppers (1927)

Red Hot Peppers (1927)

Em 1922, mudou-se para Chicago e nos cinco anos seguintes ele foi o arranjador para a publicação Melrose House. Um grande número de suas composições foram gravadas durante este período. Ele também passou algum tempo com um grupo de músicos brancos conhecido como o ‘New Orleans Rhythm Kings’. Morton foi um dos primeiros negros a tocar em uma banda mista. Morton chegou ao auge de sua popularidade entre 1926 e 1930. Formou a banda ‘The Red Hot Peppers’ e produziu vários discos clássicos para o selo ‘Victor’. ‘Red Hot Peppers’ mostrou, pela primeira vez, que uma banda de jazz poderia ser livre e espontânea, mas meticulosamente organizada. Morton também contou com alguns dos melhores sidemen de Nova Orleans, como Kid Ory no trombone e Baby Dodds na bateria.

jelly roll mortonMudou-se para New York e fez poucos amigos devido a sua mania de se gabar. E os tempos estavam mudando, a sua música já era considerada antiquada. Nesse momento, também a depressão de 1929 tomou conta da indútria fonográfica e logo em seguida, Benny Goodman apresentou ao mundo um novo tipo de música, o swing. E as big bands como as de Louis Armstrong estavam entrando na moda. Devido à sua incapacidade de adaptar-se a este novo estilo, o sucesso e prestígio de Morton estavam diminuindo. Assim como a sua popularidade como líder de banda e seu império financeiro entrou em colapso. E Morton passou por tempos difíceis e foi dito que ele teve que penhorar o diamante do seu dente. E Jelly Roll Morton caiu na obscuridade.

Em 1938, Alan Lomax, musicólogo, pesquisador e arquivista estadunidense da música folclórica norte-americana, caribenha e européia encontrou Jelly Roll tocando em Washington, DC, no clube ‘The Inn Jungle’ e foi capaz de gravar algumas entrevistas. Alan Lomax, filho de outro entusiasta da música folk, John Lomax, gravou, a princípio acompanhado de seu pai e posteriormente sozinho, vários outros músicos além de Jelly Roll Morton e suas gravações formam o ‘Arquivo de Música Folclórica Americana’, uma coleção de cerca de 15.000 músicas compiladas para a Biblioteca do Congresso. Logo após as entrevistas com Lomax, Morton foi ferido com uma faca pelo dono de um clube e ele nunca se recuperou totalmente do incidente, o que só agravou outros problemas de saúde existentes. Sua saúde estava falhando e voltou para Los Angeles em 1940. Esperando que o clima da Califórnia pudesse restaurar sua saúde, Morton formou uma nova banda. Em pouco tempo, foi impossibilitado de trabalhar. Em 1941, com cinquenta anos Morton morreu nos braços de Anita, sua primeira mulher.

jelly roll morton - doctor jazz
(seu único vocal)


Jelly Roll Morton fez uma série de reivindicações exageradas em sua vida e apesar de não haver solista do calibre de Louis Armstrong as habilidades de Morton como compositor, arranjador e pianista estavam acima de todos durante este período. Esta coleção da gravadora inglesa ‘JSP Record’ foi remasterizada pelo arquivista de jazz e especialista de som John Davies TR, e é notável em termos de qualidade de som. No primeiro CD há todos os clássicos, como ‘Doctor Jazz’ (seu único vocal), ‘Dead Man Blues’ assim como as faixas com o grande clarinetista Johnny Dodds. No CD 2 solos de piano e em vez de Dodds, o clarinetista Barney Bigard e o baterista Zutty Singleton, outros dois gigantes de Nova Orleans.

JSP Records 1926-1930 (2000)
volume 1    volume 2    volume 3    volume 4    volume 5

volume 1: Chicago, 1926-1927
01. Black Bottom Stomp 02. Smoke-House Blues 03. Chant 04. Sidewalk Blues 05. Dead Man Blues 06. Steamboat Stomp 07. Someday, Sweetheart 08. Grandpa's Spells 09. Original Jelly Roll Blues 10. Doctor Jazz 11. Cannonball Blues 12. Hyena Stomp 13. Billy Goat Stomp 14. Wild Man Blues 15. Jungle Blues 16. Beale Street Blues 17. Pearls 18. Wolverine Blues 19. Mr. Jelly Lord

volume 2: New Jersey e New York, 1929
01. Red Hot Pepper 02. Deep Creek Blues 03. Pep 04. Seattle Hunch 05. Frances [Fat Frances] 06. Freakish 07. Burnin' the Iceberg 08. Courthouse Bump 09. Pretty Lil 10. Sweet Anita Mine 11. New Orleans Bump [Monrovia] 12. Down My Way 13. Try Me Out 14. Tank Town Bump 15. Sweet Peter 16. Jersey Joe 17. Mississippi Mildred 18. Mint Julep 19. Smilin' the Blues Away 20. Turtle Twist 21. My Little Dixie Home 22. That's Like It Ought to Be

volume 3: New York, 1930
01. Each Day 02. If Someone Would Only Love Me 03. That'll Never Do 04. I'm Looking for a Little Bluebird 05. Little Lawrence 06. Harmony Blues 07. Fussy Mabel 08. Ponchartrain 09. Oil Well 10. Load of Coal 11. Crazy Chords 12. Primrose Stomp 13. Low Gravy 14. Strokin' Away 15. Blue Blood Blues 16. Mushmouth Shuffle 17. Gambling Jack 18. Fickle Fay Creep

volume 4: Chicago e New York, 1926-1928
01. Chant 02. Sidewalk Blues 03. Dead Man Blues 04. Someday, Sweetheart 05. Grandpa's Spells 06. Original Jelly Roll Blues 07. Cannonball Blues 08. Hyena Stomp 09. Billy Goat Stomp 10. Wild Man Blues 11. Jungle Blues 12. Beale Street Blues 13. Pearls 14. Wolverine Blues 15. Georgia Swing 16. Kansas City Stomp 17. Shoe Shiner's Drag 18. Boogaboo 19. Shreveport Stomp 20. Mournful Serenade

volume 5: New Jersey e New York, 1928-1930
01. Shreveport Stomp 02. Seattle Hunch 03. Freakish 04. Burnin' the Iceberg 05. Courthouse Bump 06. Pretty Lil 07. Sweet Anita Mine 08. New Orleans Bump [Monrovia] 09. Tank Town Bump 10. Sweet Peter 11. Jersey Joe 12. Mississippi Mildred 13. Each Day 14. Oil Well 15. Load of Coal 16. Crazy Chords 17. Primrose Stomp 18. Strokin' Away 19. Blue Blood Blues 20. Gambling Jack

jelly roll morton - doctor jazz (2006)

Doctor Jazz (2006)
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4

CD 1: King Porter Stomp
01. Big Fat Ham 02. Muddy Water Blues 03. Sobbin' Blues 04. King Porter Stomp 05. New Orleans Joys 06. Clarinet Marmalade 07. Mr. Jelly Lord 08. Grandpa's Spells 09. Kansas City Stomps 10. Wolverine Blues 11. The Pearls 12. London Blues 13. Milenberg Joys 14. Someday, Sweetheart 15. London Blues 16. Mr. Jelly Roll 17. Steady Roll 18. Thirty-Fifth Street Blues 19. Mamanita 20. Froggie Moore 21. London Blues 22. Tia Juana 23. Shreveport Stomps 24. Mamamita 25. Jelly Roll Blues 26. Big Foot Ham (Big Fat Ham)

CD 2: Black Bottom Stomp
01. Bucktown Blues 02. Tom Cat Blues 03. Stratford Hunch 04. Perfect Rag 05. King Porter Stomp 06. Tom Cat Blues 07. The Pearls 08. Sweetheart O'mine 09. Fat Meat And Greens 10. King Porter Stomp 11. Black Bottom Stomp 12. Smoke-House Blues 13. The Chant 14. Sidewalk Blues 15. Dead Man Blues 16. Steamboat Stomp 17. Someday, Sweetheart 18. Grandpa's Spells 19. Original Jelly Roll Blues 20. Doctor Jazz 21. Cannon Ball Blues 22. Hyena Stomp 23. Billy Goat Stomp 24. Wild Man Blues 25. Jungle Blues

CD 3: Mournful Serenade
01. Beale Street Blues 02. The Pearls 03. Wolverine Blues 04. Mr. Jelly Lord 05. Georgia Swing 06. Kansas City Stomps 07. Shoe Shiner's Drag (London Blues) 08. Boogaboo 09. Shreveport Stomp 10. Mournful Serenade 11. Red Hot Pepper (Stomp) 12. Deep Creek (Blues) 13. Pep 14. Frances (Fat Frances) 15. Freakish 16. Burnin' The Iceberg 17. Sweet Anita Mine 18. New Orleans Bump (Monrovia) 19. Tank Town Bump 20. Sweet Peter 21. Jersey Joe 22. Mississippi Mildred 23. Mint Julep 24. Smilin' The Blues Away 25. Turtle Twist

CD 4: Blue Blood Blues
01. My Little Dixie Home 02. That's Like It Ought To Be 03. Each Day 04. If Someone Would Only Love Me 05. That'll Never Do 06. I'm Looking For A Little Bluebird 07. Little Lawrence 08. Harmony Blues 09. Fussy Mabel 10. Pontchartrain Blues 11. Oil Well 12. Load Of Coal 13. Crazy Chords 14. Primrose Stomp 15. Low Gravy 16. Strokin' Away 17. Blue Blood Blues 18. Musmouth Shuffle 19. Gambling Jack 20. Fickle Fay Creep (Soap Suds) 21. Winin' Boy Blues 22. Ballin' The Jack 23. Don't You Leave Me Here 24. Mamie's Blues 25. Michigan Water Blues

3 comentários:

fillo disse...

Que bueno, que bueno.
Gracias.

mara* disse...

Gracias por su visita y comentario. Saludos.

Borboletas de Jade disse...

Jelly Roll Morton é uma daquela figuras anonimas que muito contribuiu para o desenvolvimento embrionário do jazz e ficou injustiçadamente esquecido no tempo. Suas composições são lendárias bem como gravou mais de 58 canções entre 1927 e 1930. Só quem é amante do jazz na sua essência conhece o belo trabalho desse pianista, compositor e orquestrador do começo do século passado. Parabens pela postagem e obrigado por disponibilizar jóias como essas.
Mr. Butterfly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...