sarah vaughan

Sarah VaughanSarah Vaughan, juntamente com Ella Fitzgerald, ajudou a elevar o papel da vocalista ao mesmo nível de importância do instrumentista de jazz. Seus primeiros sucessos e uma série de duetos com Billy Eckstine na década de 40 fizeram dela uma das maiores cantoras de jazz durante quase meio século. Possuindo uma perfeita afinação ela cantava com sofisticação a mais desafiadora e complicada harmonia. O sucesso inicial foi atingido com uma mistura de músicas originais de jazz e o melhor da música do ‘Tin Pan Alley’, nome dado aos compositores que se concentravam em New York e que dominavam a música popular dos EUA no século 19 e início do século 20, músicas como ‘Body and Soul’ e ‘Tenderly’. Na década de 50 ela nadou em águas mais comerciais, mas algumas das canções foram descartadas, indignas de seu grande talento. Mesmo assim, em algumas a pirotecnia vocal era evidente, uma exceção foi o seu grande hit ‘Misty’ que ela gravou com a banda de Quincy Jones e com o apoio do brilhante saxofonista Zoot Sims. ‘Misty’ foi a música mais associada à Sarah Vaughan e a mais solicitada pelo público nas apresentações ao vivo, mas nos anos 70, ‘Send in the Clowns’ tornou-se a sua assinatura musical nos encerramentos dos shows. Sarah voltou integralmente à sua força artística nos anos 60, e nos últimos 30 anos de sua carreira ela cantava em clubes de jazz e produziu um notável catálogo musical em vários rótulos. Sua produção foi excelente, mas entre os seus melhores álbuns estão os volumes 1 e 2 de ‘The Duke Ellington Songbook’ que contém versões magníficas. Desde a sua primeira aparição na cena do jazz no início dos anos 1940 até sua morte, a voz de Sarah Vaughan tornou-se um modelo e inspiração para aqueles que querem se aventurar além do simples vocal popular e dominar a arte musical.

Sarah Vaughan

Sarah Lois Vaughan nasceu em Newark, New Jersey. Aos sete anos estudou piano e aos doze se tornou organista e vocalista solo no coro da igreja. Seu pai era um carpinteiro e um guitarrista amador e sua mãe era lavadeira e vocalista na igreja. Apesar de ser um homem religioso, o pai de Vaughan, passava as noites a tocar blues. Sarah tocava piano e ouvia as gravações de artistas de jazz. Depois de descobrir e se apresentar, cantando e tocando piano, em teatros e clubes locais decidiu atravessar o rio Harlem e passou a freqüentar o ‘Savoy Ballroom’ e o ‘Apollo Theatre’ onde ganhou um concurso amador interpretando ‘Body and Soul’, que tanto impressionou o cantor de jazz Billy Eckstine que persuadiu seu bandleader, Earl Hines, a contratá-la. Pianista talentosa, ao tornar-se membro das bandas de Earl Hines e Billy Eckstine, ela entrou para as fileiras do movimento ‘bebop’, uma das correntes mais influentes do jazz que privilegia os pequenos conjuntos, como os trios, os quartetos e os solistas de grande virtuosismo como ela. Logo formou a sua própria e influenciada por Dizzy Gillespie e Charlie Parker gravou com eles em 1945. Depois de um ano, Sarah começou a sua longa carreira como solista para o resto de sua carreira, alternando entre música popular e jazz trabalhou com pequenas e grandes bandas de jazz e grandes orquestras sinfônicas.

Sarah Vaughan

Uma mulher conhecida por sua personalidade franca e eloquência artística, carinhosamente era conhecida como ‘Sassy’ e ‘a divina’. Sarah foi casada quatro vezes: com o bandleader George Treadwell, com o jogador de futebol profissional Clyde Atkins, com Marshall Fisher, dono de um restaurante em Las Vegas e com o trompetista de jazz Waymon Reed. Tudo terminou em divórcio. A cantora incansável ainda mantinha uma bela voz, mas nos bastidores, no entanto, os membros da banda começaram a perceber o ritmo lento do seu andar e a falta de ar. Diagnosticada com câncer de pulmão, ela foi submetida a tratamento quimioterápico. Infelizmente, ela morreu em 1990, um ano depois de receber um Grammy por sua obra.

            sarah vaughan - body and soul
            sarah vaughan & milton nascimento - bridges (travessia)


sarah vaughan - at mister kelly's (1958)

At Mister Kelly's (1958)

Tracklist
01. September in the Rain 02. Willow Weep for Me 03. Just One of Those Things 04. Be Anything (But Be Mine) 05. Thou Swell 06. Stairway to the Stars 07. Honeysuckle Rose 08. Just a Gigolo 09. How High the Moon 10. Dream 11. I'm Gonna Sit Right Down (And Write Myself a Letter) 12. It's Got to Be Love 13. Alone 14. If This Isn't Love 15. Embraceable You 16. Lucky in Love 17. Dancing in the Dark 18. Poor Butterfly 19. Sometimes I'm Happy 20. I Cover the Waterfront

sarah vaughan – gold (2007)

Gold (2007)
CD 1    CD 2

CD 1
01. If You Could See Me Now 02. Black Coffee 03. My Funny Valentine 04. Lover Man 05. Shulie A Bop 06. Body And Soul 07. Tenderly 08. Lullaby Of Birdland 09. I'm Glad There Is You 10. You're Not The Kind 11. Embraceable You 12. How High The Moon 13. Sometimes I'm Happy 14. Lush Life 15. Poor Butterfly

CD 2
01. September Song 02. All Of Me 03. Summertime 04. My Man's Gone Now 05. Passing Strangers (With Billy Eckstine) 06. Broken-Hearted Melody 07. No 'Count Blues 08. Just One Of Those Things 09. Misty 10. The Midnight Sun Will Never Set 11. Smooth Operator 12. Mr. Lucky 13. The Sweetest Sounds 14. Take The A Train 15. Send In The Clowns

sarah vaughan - duke ellington songbook (1979) vol 1    sarah vaughan - duke ellington songbook (1979) vol 2

The Duke Ellington Songbook (1979)
volume 1    volume 2

Volume 1
01. In a Sentimental Mood 02. I'm Just a Lucky So and So 03. Solitude 04. I Let A Song Go Out Of My Heart 05. I Didn't Know About You 06. All Too Soon 07. Lush Life 08. In A Mellow Tone 09. Sophisticated Lady 10. Day Dream

Volume 2
01. I Ain't Got Nothing But The Blues 02. Black Butterfly 03. Chelsea Bridge 04. What Am I Here For? 05. Tonight I Shall Sleep (With A Smile On My Face) 06. Rocks In My Bed 07. I Got It Bad And That Ain't Good 08. Everything But You 09. Mood Indigo 10. It Don't Mean A Thing 11. Prelude To A Kiss

o som brasileiro de sarah vaughan (1978)    sarah vaughan - exclusivamente brasil (1980)

O Som Brasileiro de Sarah Vaughan (1978)
Exclusivamente Brasil (1980)

O Som Brasileiro de Sarah Vaughan
Personnel: Milton Nascimento (voice, violão) Ze Roberto Bertrami (organ, piano, arrangements) Novelli, Sergio Barrozo, Claudio Bertrami (bass) Nelson Angelo (guitar) Robertinho Silva, Wilson das Neves (drums) Danilo Caymmi, Paulo Jobim (flute) Chico Batera, Ariovaldo, Luna, Marcal (percussion) Helio Delmiro (guitar) Edson Frederico (arrangements) Antonio Carlos Jobim (piano, arrangements) Mauricio Einhorn (harmonica)
Tracklist: 01. Bridges (Travessia featuring Milton Nascimento) 02. If You Went Away (Preciso Aprender a Ser Só) 03. Triste (featuring Tom Jobim) 04. The Day It Rained (Chuva) 05. A Little Tear (Razão de Viver) 06. Courage (Coragem featuring Milton Nascimento) 07. Roses And Roses (Das Rosas featuring Dorival Caymmi) 08. Someone To Light Up My Life (Se Todos Fossem Iguais a Você featuring Tom Jobim) 09. I Live To Love You (Morrer de Amor)

Exclusivamente Brasil
Personnel: Helio Delmiro (guitar, violao) Wilson das Neves (drums) Andrew Simpkins (bass) Grady Tate (drums) Edson Frederico (arrangements)
Tracklist: 01. Copacabana 02. The Smiling Hour (Abre Alas) 03. To Say Goodbye (Pra Dizer Adeus) 04. Dreamer (Vivo Sonhando) 05. Gentle Rain 06. Tetê 07. Dindi 08. Double Rainbow (Chovendo na Roseira) 09. Bonita

2 comentários:

Gabriel Meissner disse...

Acabo de divulgar o seu post no Entrelinks. Muito bom o seu texto, parabéns.

AmoJoias disse...

Oiiii Mara!
Obrigada pela visita! Fico feliz que tenha gostado do Blog!
Que honra ter meu logo no seu Blog que é tão especial e tem conteúdo muito informativo, alem de ser muito original! Parabéns! Fiquei super feliz :O)
Podemos pensar numa parceria, quem sabe musicas jóias e jóias de música?
Bjinhusss no coração e fds maravilhoso!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...