r.e.m.

R.E.M.Em 1979, em Athens, na Geórgia, o vocalista Michael Stipe, estudante de artes plásticas, conheceu o guitarrista Peter Buck, um jovem que trabalhava numa loja de discos e que era uma verdadeira enciclopédia ambulante do rock. No começo da amizade, a principal diversão da dupla era freqüentar bares e shows da região vestidos de mulher. Em 1980, em uma das festas que freqüentavam conheceram o baixista Mike Mills e o baterista Bill Berry que também eram amigos. A afinidade entre os quatro foi imediata e logo começaram a tocar juntos e fundaram o 'R.E.M.' uma referência ao estágio de sono REM. Em 1980, a banda fez seu primeiro show para a festa de aniversário de um amigo, numa igreja abandonada da cidade. A partir daí, começaram a tocar em bares, restaurantes e festas no sudeste dos EUA. Através da década de 80 a banda trabalhou sem descanso, lançando álbuns anualmente por sete anos consecutivos. Seu estilo ‘punk rock’ e ‘art rock’ inspirado na década de 70 permitiu que o grupo se estabelecesse na cena do rock alternativo da década de 80. O grupo é admirado por outros músicos por ter realizado um feito raro, mesmo com a sua popularidade crescendo e não fazendo mais parte do underground, a banda manteve a aura da época de sua fundação, quando só encontrava fãs nas rádios universitárias dos Estados Unidos. Não simplificou seus arranjos e suas letras, manteve-se fiel a um estilo que combina o ‘folk rock’ dos anos 60 e a energia ‘punk’ do final dos anos 70, numa época dominada pelo ‘new wave’. Acima de tudo, o R.E.M. contou com o enorme carisma do letrista e vocalista Michael Stipe.

R.E.M. (1980)

Michael Stipe, Mike Mills, Bill Berry, Peter Buck (1980)

Michael StipeStipe é um pop star atípico. Feioso e desengonçado nunca deu a mínima para o glamour. Seu visual magérrimo e com a cabeça raspada chegou a suscitar boatos de que ele seria portador do HIV. Stipe reluta em falar com a imprensa, mas às vezes usa a mídia de maneira surpreendente. Em certa ocasião, durante um bate-papo informal com os leitores de uma revista inglesa, confessou ser bissexual, revelando que namorou tanto Stephen Dorff como a destrambelhada Courtney Love. Em 2008 admitiu abertamente a uma publicação americana que é gay reconhecendo que nem sempre viu o quão útil sua saída do armário poderia ser para os homossexuais. Acrescentou que sempre foi sincero sobre sua orientação sexual com os parceiros de banda, a família, os amigos e as pessoas com as quais se relacionou. Sua carreira não se limita à música, nos últimos anos, ele se revelou um ousado produtor cinematográfico. O forte da banda R.E.M. são as canções que nunca cheiram a naftalina como a ‘So.Central Rain’, ‘The One I Love’ e principalmente ‘Losing My Religion’ que sempre soa como música inédita.

r.e.m - losing my religion


R.E.M. – 20 Years of R.E.M. (2001)

20 Years of R.E.M. (2001)

Tracklist
01. Imiatation Of Life 02. The Great Beyond 03. At My Most Beautiful 04. Electrolite 05. What’s The Frequency, Kenneth? 06. Man On The Moon 07. Everybody Hurts 08. Drive 09. Losing My Religion 10. Pop Song 89 11. Orange Crush 12. It’s The End Of The World As We Know It (And I Feel Fine) 13. The One I Love 14. Finest Worksong 15. Fall On Me 16. Driver 8 17. So. Central Rain 18. Talk About The Passion 19. Gardening At Night 20. Radio Free Europe

2 comentários:

carol sakurá disse...

Nada melhor que R.E.M no som em uma estrada longíqua!
Beijos!

Carol Sakurá

On The Rocks disse...

concordo com a carol. gosto e respeito muito esta grande banda.

até mais,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...