jamie cullum

jamie cullumJamie Cullum entrou no templo do jazz mundial de calças curtas e tênis All Star e com dois refinados CDs: ‘Twenty something’ e ‘Catching Tales’. É um dos responsáveis pelo renascimento do jazz no velho continente e arrasa em apresentações ao vivo. Como vocalista, canta em um tom de médio porte, com personalidade, que espanta quem vê apenas sua foto nas capas do CD, no entanto, trata seu piano como um instrumento de percussão. Ele surpreende pelo improviso e pela capacidade de trazer elementos do jazz dos anos 50 de Frank Sinatra e King Cole. Jamie Cullum se tornou o mais bem sucedido e o mais vendido artista de jazz contemporâneo na Inglaterra. As suas obras refletem o seu gosto versátil, bem como a sua afeição por rock, pop, hip hop, dance music, drums 'n' bass (um estilo de música eletrônica que originou-se a partir do jungle), jazz, música erudita e dezenas de trilhas sonoras de filmes. Um grande artista, infelizmente pouco conhecido por aqui, e que tornou-se um dos líderes na renovação de um estilo tão nobre. O jazz agradece.

E é o primeiro do gênero a ganhar disco de platina no Reino Unido. Apelidado de ‘galã do jazz’, ‘o David Beckham do jazz’ referência à estrela do futebol Inglês, e ‘Sinatra de tênis’ pela imprensa, a Cullum é creditado a mudança da imagem do jazz através de seu recurso crossover, um termo usado na música para designar duas ou mais aparições em paradas musicais com diferentes gêneros de música; por seu ecletismo e performances emocionantes. A sua base de fãs, é composta por adolescentes e aposentados que muitas vezes não estão familiarizados com o jazz. Ele é saudado com o entusiasmo que normalmente é reservado para estrelas da música pop ou rock. Nascido em Wiltshire, Inglaterra, Cullum cresceu na vila rural de Hullavington, perto da cidade de Malmesbury. Seu pai, John, filho de refugiados judeus que vieram para a Inglaterra da Alemanha, e sua mãe, Yvonne, originária da Birmânia, tinham uma extensa coleção de discos, que serviram como influênca para seus dois filhos. Sua avó materna é uma refugiada judia vinda da Prússia, e cantava nos clubes noturnos de Berlim. Sempre teve muitas histórias para contar para o garoto Jamie, que ficava fascinado com toda aquela ebulição cultural da Alemanha na época da guerra. Até hoje Jamie considera sua avó, seu ‘ícone cultural’, foi ela que lhe ensinou o gosto pela música, pelos palcos e pelo público.



Com oito anos Jamie começou a ter aulas de piano que deixou aos onze anos, depois de ter sido reprovado, e começou a explorar outras formas de arte. As obras dos autores americanos Ernest Hemingway e Jack Kerouac o influenciaram muito. No entanto, aos 13 anos, dois eventos ajudaram a moldar Jamie Cullum como músico: ele ganhou uma guitarra elétrica no seu aniversário, e assistiu o desempenho do cantor de jazz americano Harry Connick Jr. E nesse mesmo tempo, interessou-se pelo gosto musical do seu irmão Ben Cullum ao ouvir o álbum ‘My Generation’ do ‘The Who’ e os pioneiros do metal pesado ‘Iron Maiden’. Aos 16 anos, Jamie começou a tocar com Ben (hoje um artista de gravação, produtor e músico) e começou a levar a música a sério pela primeira vez. Jamie Cullum tornou-se especialmente interessado em bandas do grunge americano, como ‘Nirvana’ e ‘Soundgarden’, e ao mesmo tempo, percebeu que o jazz parecia ser a única forma sofisticada para ganhar a atenção do sexo oposto. Isto, junto com sua introdução aos artistas de jazz como Oscar Peterson, Dave Brubeck, e Art Tatum, reacenderam o seu interesse pelo piano. Descobriu Herbie Hancock e Miles Davis e, mais tarde, despertou interesse por cantores como Frank Sinatra e Ella Fitzgerald. Em 1997, Cullum participou do ‘Glastonbury Festival’, um show de rock ao ar livre, e ficou emocionado com a música do ‘Radiohead’, uma banda de rock progressivo inglês que ele agora considera seu grupo favorito de todos os tempos.

Clint Eastwood and jamie cullumDepois dessa experiência, Cullum decidiu tirar um ano de folga da escola para se dedicar exclusivamente à música. Aos 18 anos foi para Paris, onde aperfeiçoou suas habilidades tocando em bares e clubes de jazz. Ao regressar para a Inglaterra, entrou na ‘Reading University’ onde se formou em literatura inglesa, cinema e teatro. Enquanto estudante, aos 19 anos, gravou seu primeiro álbum, ‘Heard It All Before’, com o ‘Jamie Cullum Trio’ composto por Raphael Mizrahi no baixo e na bateria, Julian Jackson. O sucesso do álbum colocou-o em contato com o baixista de jazz Geoff Gascoyne, que ofereceu a Cullum a oportunidade de tocar em seu álbum ‘Songs of the Summer’. Com o incentivo de Geoff Gascoyne, Jamie Cullum gravou seu segundo álbum, ‘Pointless Nostalgic’, lançado em 2002. E Cullum finalmente assinou com a ‘Universal Records’ e lançou seu terceiro álbum, ‘Twentysomething’, em 2003, seguido por ‘Catching Tales’ e a compilação ‘In the Mind of Jamie Cullum’ em 2005 e 2007, respectivamente. Em 2009, Cullum foi indicado, juntamente com Clint Eastwood para um Globo de Ouro de Melhor Canção Original para sua composição ‘Gran Torino’.

jamie cullum - what a difference a day made


Jamie Cullum - Pointless Nostalgic (2002)    twentysomething (2003)

Pointless Nostalgic (2002)    |    Twentysomething (2003)

Pointless Nostalgic
01. You and the night and the music 02. I can't get started 03. Devil may care 04. You're nobody till somebody loves you 05. Pointless nostalgic 06. In the wee small hours of the morning 07. Well you needn't 08. It aint necessarily so 09. High and dry 10. Too close for comfort 11. A time for love 12. Lookin' good 13. I want to be a popstar

Twentysomething
01. What a Difference a Day Made 02. These Are The Days 03. Singin' In The Rain 04. Twentysomething 05. But For Now 06. Old Devil Moon 07. I Could Have Danced All Night 08. Blame It On My Youth 09. I Get A Kick Out Of You 10. All At Sea 11. Wind Cries Mary 12. Lover, You Should've Come Over 13. It's About Time 14. Next Year, Baby

jamie cullum - Catching Tales (2005)    Jamie Cullum - The Pursuit (2009)

Catching Tales (2005)    |    The Pursuit (2009)

Catching Tales
01. Get Your Way 02. London Skies 03. Photograph 04. I Only Have Eyes For You 05. Nothing I Do 06. Mind Trick 07. 21st Century Kid 08. I'm Glad There Is You 09. Oh God 10. Catch The Sun 11. 7 Days To Change Your Life 12. Our Day Will Come 13. Back To The Ground 14. Fascinating Rhythm 15. My Yard

The Pursuit
01. Just One Of Those Things 02. I'm All Over It 03. Rodas 04. If I Ruled The World 05. You And Me Are Gone 06. Don't Stop Ele Music 07. Love Ain't Gonna Let You Down 08. Mixtape 09. I Think I Love 10. Things We Run 11. Not While I'm Around 12. Music Is Through

jamie cullum - sunday express (2006)

Sunday Express (2006)
volume 1    volume 2

Volume 1
01. It Ain't Necessarily So 02. High and Dry 03. Devil May Care 04. You and the Night the Music 05. The Road Less Travelled 06. In The Wee Small Hours Of The Morning 07. Well You Needn't

Volume 2
01. Can't Get Started 02. You're Nobody Till Somebody Loves You 03. A Time For Love 04. Too Close For Comfort 05. Love Won't let Me Wait 06. Lookin' Good 07. I Want To Be a Popstar

7 comentários:

Игорь disse...

Olá Mara ;)

Obrigado pelo comentário , ficou muito bonito , vejo que me incluiu nos blogs parceiros . Pode me explicar como faço isto ? Meu bloguinho só tem 40 dias acho .

Uma constastação (óbvia ) : de um jeito ou e outro parte da nossa subjetividade transparece nos posts.

Sempre acesso teu blog . Sempre aprendo algo novo . Fiquei parado no tempo com a música . Aqui você me ajuda a reciclar.

obrigado

Um beijo e bom final de semana :)

Игорь

Ps : gosto as tua visitas :)

Игорь disse...

Oi Mara acabei de ler seu comentário . Tive um pincher que morreu no inicio do ano . Acha mais fácil lidar com bichos ? Eles exigem tão pouco e dão mais em troca . Tá se eu começar a filosar demais nos comentários me dê um toque . As palavras voam pelo teclado .
Obrigado pelas dicas de layout e do twitter , vou providência-las . Há , OLavo Bilac , completaste o pensamento com ele . Talvez eu tenha lido em algum "tesouro da juventude " e o resquício dele voltou do inconsciente ...
Hahaha daqui a pouco isto vira uma carta ;)

Até breve Mara

Игорь disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Ancanti disse...

Ótima sessão de Jamie Cullum! Estava pensando em colocar um video dele no meu Blog. Sua página ficou bem completa!

Roberta disse...

Obrigada!!!

Anonymous disse...

Seu blog tá show!!! Parabéns!
To baixando os cds do Jamie para ir no Festival em São Paulo dia 21 de Maio!
Valeu!!!

mara* disse...

Valeu 'anônimo'! Não estarei no Festival, uma pena, divirta-se por mim. Um abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...