sade

sadeSempre quando um crítico quer descrever um artista pop com suavidade, descontração e sofisticação, com um som vagamente jazz, Sade é imediatamente lembrada. Desde que entrou para o mundo pop em meados dos anos 80, dezenas de bandas tentaram copiar o comedido estilo de sua banda. Em 1959, Sade nasceu Helen Folasade Adu em Ibadan, na Nigéria. Seu pai, Adebisi Adu, um nigeriano, era professor de economia, enquanto sua mãe, Anne, era uma estudante britânica de enfermagem. Uma mistura étnica impressionante que lhe deu um tom levemente marrom à pele e traços inequívocos de africana. Os pais se conheceram quando Adebisi Adu era um estudante de pós-graduação na ‘London School of Economics’. Sade, diminutivo de Folasade, nasceu pouco depois da chegada dos dois na Nigéria. Sade tinha quatro anos, quando se separaram, e, em 1963, ela, sua mãe e seu irmão voltaram para a Inglaterra. Eles viviam com os avós de Sade, enquanto a mãe terminava o curso de enfermagem. A família finalmente se estabeleceu em uma cidade de classe trabalhadora chamada Holland-on-Sea, onde, a maioria da população tinha mais de 65 anos de idade. Uma pequena e miserável cidade à beira-mar cheia de velhas senhoras, algodão doce e poodles. Sade e seus amigos encontravam consolo em clubes de dança nos arredores sombrios da cidade. Época em que Sade desenvolveu uma paixão pelo jazz, funk e soul.

Aos 17 anos, Sade partiu para Londres para estudar moda. Ao se formar, ela e uma amiga lançaram seu próprio negócio, projetar roupas masculinas. A empresa de design nunca se tornou muito rentável, e Sade completava sua renda, com trabalhos de modelagem, que ela não gostava. Enquanto isso passava o tempo, tanto quanto possível, em clubes de dança, onde ela mais se sentia em casa. A entrada de Sade no mundo da música não se realizou através de qualquer plano. Um popular grupo de funk londrino chamado ‘Pride’ estava procurando uma cantora de apoio. O empresário da banda achou Sade deslumbrante apesar da sua falta de experiência como vocalista. Ela fez o teste e foi inicialmente rejeitada. Quando ninguém mais apareceu durante as próximas semanas, a Sade foi dada a tarefa. Ela continuou a desenhar roupas, mas a música tornou-se seu hobby principal durante a noite. Como cantora de apoio, Sade rapidamente desenvolveu um estilo próprio e por sugestão do empresário do ‘Pride’, ela e alguns outros membros da banda ensaiavam com Sade como vocalista principal. Ela e o saxofonista Stuart Mathewman uniram-se para compor canções para o grupo dissidente, e, em pouco tempo, a banda ‘Sade’, recém-apelidada, foi ofuscando ‘Pride’.

sade

No mesmo ano a banda que agora incluía o baixista Paul Denman, o tecladista Andrew Hale e o baterista Paul Cooke, mais tarde substituído por Dave Early, assinou com uma grande gravadora. O álbum ‘Diamond Life’ saiu apenas cinco meses depois. Com uma exceção, todas as músicas do álbum foram escritas por Sade e Mathewman. E ‘Diamond Life’ subiu ao topo das paradas britânicas. Com a força do single ‘Smooth Operator’, o álbum se tornou um enorme sucesso nos EUA também e Sade recebeu o Grammy de melhor artista. ‘Promise’ de 1985 seguiu o mesmo caminho alimentado pelo single ‘Sweetest Taboo’. Durante oito meses a banda excursionou pelos Estados Unidos e Europa. Quando as turnês cessaram, Sade foi cercada por rumores de que ela estava deprimida por causa de um amor mal resolvido, ou viciada em drogas, ou que teve um colapso nervoso, ou a combinação dos três. Sua aversão ao público só deu espaço para os rumores se perpetuarem. Exausta, Sade se retirou da ribalta por um tempo antes de retornar em 1988, com um novo álbum, ‘Stronger Than Pride’. Como os primeiros dois álbuns, este foi um sucesso instantâneo, alcançando status de platina após apenas duas semanas nas paradas.

Depois de uma turnê mundial que incluiu Japão e Austrália, e concertos em estádios nos Estados Unidos, Sade sumiu, desta vez por um período ainda mais longo. Ela se mudou para a Espanha e sofreu com um casamento infeliz que durou um ano com o documentarista Carlos Scola. Após o rompimento Sade voltou para Londres. Lá, ela comprou uma velha casa que demoliu quase por completo, e construiu um estúdio de gravação totalmente equipado no porão. Remontou a banda e começou a trabalhar em seu próximo álbum, ‘Love Deluxe’, lançado em 1992. Apesar da ausência prolongada seus fãs não a tinham esquecido. A música ‘Love No Ordinary’, ganhou o Grammy e foi apresentada com destaque no filme de sucesso ‘Indecent Proposal’. Em 1995, Sade fez mais uma pausa na carreira, desta vez para ter um filho com seu parceiro Bob Morgan, um produtor musical. Enquanto ela concentrou-se em ser mãe, em Montego Bay, Jamaica, o resto da banda, trabalhando sob o nome ‘Sweetback’, lançou um álbum auto-intitulado. Enquanto isso, Sade concentrou suas energias e lançou ‘The Best of Sade’. E suas reaparições periódicas são saudadas com entusiasmo por seus milhões de fãs.

sade - kiss of life


Sade – The Best of Sade (1994)

The Best of Sade (1994)

Tracklist
01. Your love is king 02. Hang on to your love 03. Smooth operator 04. Jezebel 05. Sweetest taboo 06. Is it a crime 07. Never as good as the first time 08. Love is stronger than pride 09. Paradise 10. Nothing can come between us 11. No ordinary love 12. Like a taboo 13. Kiss of life 14. Please send me someone to love 15. Cherish the day 16. Pearls

Um comentário:

Luiz Lailo disse...

Música é comigo. Estou ouvindo seu som agora. Mas não se espante comigo. Posso ouvir um jazz, um samba, uma canção antiga do Francisco Alves, ou uma música lírica. Mas violão ainda é o meu preferido. Me aguarde. Estarei de volta em breve.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...